viagens

Nomadmovement é a rede social de viagens criada por portugueses

A carregar player...

João Monteiro, 23 anos, Vasco Vinhas e Pedro Mendes, 30 anos, deram o impulso inicial à ideia de dar um <b>destino útil às melhores fotografias, vídeos e textos de cada viagem</b> que fizeram. A <a href="http://www.nomadmovement.com/">nomadmovement</a> é a <b>rede social</b> que permite a partilha de todas essas informações com quem os utilizadores definirem, podendo vir a afirmar-se como <b>local privilegiado de pesquisa para turistas e viajantes</b> em geral.

“Já temos algumas
agências de viagens interessadas em fazer parcerias connosco e estamos muito
entusiasmados com o potencial da nomadmovement”, revelou João
Monteiro. “Mas precisamos de angariar 30 mil euros para pagar os
servidores, desenvolver a app e aplicar na parte de marketing”,
desvendou, ainda.

A campanha de crowdfunding
arranca hoje
, sendo apresentada ao fim da tarde, nas instalações da
UPTEC (Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto),
onde a startup está incubada. Para ajudar a dar o arranque, dois
viajantes portugueses famosos pelos seus feitos irão dar testemunho
do potencial da nomadmovement: João Paulo Peixoto, o único
português a ter estado em todos os países do mundo
, e Inácio
Rozeira, outro português que ficou conhecido por dar a volta à
Índia num sidecar e a volta à América do Sul numa carrinha “pão
de forma”
.

2

Recentemente, também, a
equipa nomadmovement participou no Web Summit, em Dublin, onde
apresentaram o projeto inovador. “Fomos muito bem recebidos em
Dublin e o feedback foi extremamente positivo. Realizámos muitos
contactos, fomos recebido pela Embaixada de Portugal em Dublin e
surgiram as parcerias com as agências de viagens”, resume João
Monteiro.

Entretanto, juntaram-se
mais três sócios aos iniciais, sendo colaboradores ativos no
desenvolvimento da rede social de viajantes: Francisco Sousa Otto (23
anos), Matilde Espregueira (25 anos) e Sarah Wordsmith, uma
australiana de 30 anos que, fascinada pela ideia, quis associar-se ao
projeto.

A rede está já ativa,
mas ainda em versão beta e em inglês, ou seja, será testada por
cerca de 20 utilizadores até estar concluída a versão final
, se
tudo correr como previsto (e o crowdfunding angariar os 30 mil euros
até final de janeiro), no início de fevereiro. Os investidores
também terão direito de acesso antecipado à nomadmovement, entre outras regalias, conforme o valor aplicado.

Está
previsto o site funcionar em quatro versões – português/português
do Brasil, espanhol e inglês – e terá ligação às redes sociais
Facebook, Google+ e Twitter.

Não estamos nisto para
sermos ricos e famosos
, mas acreditamos que vamos criar algo incrível
e é esse o gosto que nos move”, remata o jovem CEO da
nomadmovement.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Nomadmovement é a rede social de viagens criada por portugueses