BES

Novo Banco ficou com nove shoppings do BES. E estão todos à venda

O Novo Banco quer acelerar a venda dos centros comerciais que foram entregues ao BES por falta de pagamento de empréstimos. No total, são já nove imóveis destes, nomeadamente, o Campera, no Carregado; o Beloura Shopping, em Sintra; o Leiria Retail Park, o Ferrara Plaza, em Paços de Ferreira; o Lago Discount, em Vila Nova de Famalicão; o Trindade Domus, no Porto; o Acqua Roma, em Lisboa, o Évora Shopping e ainda o Grijó Outlet, em Vila Nova de Gaia.

Segundo apurou o Dinheiro Vivo, o banco contratou várias consultoras imobiliárias a operar em Portugal para negociarem estes shoppings, a maior parte dos quais estão à venda há já alguns anos no site do BES Imóveis, lado a lado com casas ou terrenos, e sem qualquer sucesso.

Contudo, não foi pelo preço que ainda não se conseguiram vender. É que estes centros comerciais – cujo valor está diretamente relacionado com as lojas que estão abertas e as rendas que estas pagam – estão à venda com algum desconto porque têm lojas fechadas e por isso um baixo rendimento.

Por exemplo, o Ferrara Plaza abriu em 2008 e dois anos depois havia lojas que nunca tinham aberto e outras que entretanto fecharam. O proprietário inicial, a Martifer, decidiu então vendê-lo à Imorendimento, que acabou por o entregar ao BES em 2013. Outro caso é o Beloura Shopping, que em 2010 mudou de proprietário, de estratégia e de nome para Fashion Spot, mas nem assim vingou e desde então tem vindo a fechar lojas sucessivamente, estando hoje praticamente vazio.

É precisamente por isso que, apesar dos preços poderem ser mais baixos, alguns consultores do mercado consideram que pode ser difícil vender estes ativos mesmo com o aumento do interesse dos investidores estrangeiros em Portugal. E fechar os centros não é solução porque isso só traria custos e imparidades para o Novo Banco.

“O investimento em imobiliário de retalho está a recuperar e, apesar de ter sido o comércio de rua a impulsionar esse aumento do investimento nos últimos dois anos, desde meados do ano passado que a procura por centros comerciais está também a reemergir”, diz um estudo recente da consultora JLL Portugal.

A prová-lo está a compra de 50% do CascaisShopping por cerca de 100 milhões de euros, segundo estimativas da consultora CBRE. Um valor que se justifica com a qualidade deste ativo, que continua a crescer em visitantes e tem as lojas todas arrendadas. Ou ainda a compra, já este ano, de 50% do Albufeira Shopping e do Continente de Portimão, por 16,5 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
2. Os telemóveis desvalorizam até 78% do investimento num ano

Burlas com SMS custam um milhão por ano aos consumidores

Ana Jacinto, secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) antes de uma entrevista, esta manhã nos estúdios TSF.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ana Jacinto. Hotelaria e restauração precisam de mais de 40 mil trabalhadores

Austin, EUA

Conheça o ranking das cidades mais desejadas pelos millennials em 2020

Novo Banco ficou com nove shoppings do BES. E estão todos à venda