fuga ao fisco

Novos inspetores do fisco iniciam funções em janeiro

O estágio dos cerca de mil novos elementos que vão reforçar a inspeção tributária e a luta contra a fraude e evasão fiscais vai arrancar a 12 de janeiro de 2015.

Os novos inspetores já foram informados do local onde vão realizar o seu estágio, iniciando naquelea data o período experimental, segundo refere um aviso do diretor-geral da Autoridade Tributária e Aduaneira, António Brigas Afonso.

O concurso para admissão destes novos inspetores foi lançado em novembro de 2012 mas sofreu vários atrasos, em parte devido ao elevado número de recursos interposto pelos candidatos. A sua entrada em funções permitirá aumentar para 30% o peso da inspeção no conjunto de trabalhadores da AT e visa cumprir uma das medidas acordadas com a troika no memorando assinado em 2011.

Numa das últimas intervenções sobre a entrada dos novos inspetores, em outubro, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais garantiu que esta seria ainda efetuada pelo atual Governo. Na mesma ocasião, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha referiu que muitos dos que concorreram a estes lugares na inspeção tributária são oriundos de outros serviços da AT e que este reforço está a ser feito num contexto de redução de fetivos.

Os futuros inspetores – 946 das áreas de economia, gestão e auditoria; 90 da informática e 24 da estatística – vão juntar-se aos 350 que foram admitidos no início de 2012.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Novos inspetores do fisco iniciam funções em janeiro