Os 10 erros de imagem a evitar no atendimento ao público

<b>1. Não estabelecer contacto visual e má postura</b> Nada pior do que atender um cliente, sem o encarar nos olhos, e continuar de cabeça baixa ou de olhar fixo em papéis ou no computador, enquanto este fala. Por certo, também já passou pela experiência de ser atendido por alguém que continua a falar com o colega do lado, ignorando-o por completo. Um atendimento de excelência pressupõe dar atenção ao cliente e fazê-lo sentir-se bem-vindo. A falta de contacto visual pode transmitir falta de interesse ou distração.

Além disso, a melhor forma de transmitir segurança e credibilidade é manter uma boa postura. Quando nos sentamos com as costas, ombros e pescoço direitos, sentimo-nos mais confiantes e passamos aos outros essa impressão. Evite, ainda, mexer-se constantemente na cadeira ou cruzar e descruzar as pernas. Deve mostrar interesse, inclinando a cabeça e o corpo um pouco para a frente, e acenar ocasionalmente, de forma a mostrar que está atento.

2. Não sorrir

Um sorriso é sinal de que o cliente é bem-vindo, predispondo-o de forma positiva. Ao sorrir, transmite confiança, simpatia e boa energia. A sua falta pode indicar indiferença, desinteresse e apatia.

3. Mau hálito, dentes sujos e lábios desidratados

Ninguém quer sentir o hálito de tabaco ou de café, ou até mesmo ver os restos da refeição anterior. Se usa batom certifique-se também que não tem os dentes manchados, quando sorri. Um bom truque é retirar o excesso de batom, mordendo o dedo indicador ou com a ajuda de um lenço de papel. Tenha sempre consigo um kit com dentífrico, escova de dentes e fio dental. Deste modo, sempre que comer pode ir discretamente à casa de banho.

Use também regularmente um hidratante labial para evitar que os lábios fiquem ressequidos e gretados. Se tiver herpes labial, recorra aos pensos transparentes que existem no mercado, que ajudam a disfarçar o problema.

4. Cabelo sujo ou que esconda o rosto

Se usa franja ou tem o cabelo comprido, evite esconder os seus olhos e o rosto. Para quem tem um cabelo muito volumoso, por vezes a melhor solução é apanhar o cabelo. Evite usar ganchos no topo da cabeça (ou visíveis) e flores, assim como elásticos coloridos, pois não são adequados para o local de trabalho. Prefira acessórios discretos, que não distraiam a atenção do cliente.

Além disso, tenha sempre um cabelo limpo e cuidado. Nada de pontas espigadas e ressequidas, raízes muito acentuadas, gel em excesso ou caspa nos ombros. Existem champôs secos, que pode usar naqueles dias em que não tem tempo para lavar o cabelo.

Mexer no cabelo e tocar no rosto demonstra inquietação, nervos e insegurança, por isso evite estes gestos e tiques.

5. Unhas sujas, roídas ou muito compridas

Muitas vezes esquecidas, as mãos são um foco de atenção para quem está no atendimento ao público. Evite roer as unhas ou apresentá-las sujas, pois revela insegurança e falta de higiene. Mantenha-as sempre limpas, curtas e limadas. As cores muito berrantes e as unhas muito compridas e “artísticas” também não são indicadas. Afinal, não vai querer parecer uma águia ou revelar uma personalidade excêntrica. Em ambientes mais formais, prefira tons discretos.

6. Roupa suja, amarrotada ou cheiro a transpiração

Se tem pouco tempo de manhã, o melhor será separar as peças que vai vestir na noite anterior e certificar-se que estão engomadas e limpas. Nada pior do que ter roupa amarrotada ou com nódoas, pois vai passar uma imagem de desleixo. A higiene diária e o uso de desodorizante também são fundamentais, pois o cheiro a transpiração passa uma imagem muito desagradável.

Aposte também em tecidos que se moldam melhor ao corpo, quando está sentado, como é o caso de peças com elastano, viscose e nylon Além de serem mais confortáveis e permitirem uma maior liberdade de movimentos não amarrotam tanto. Evite tecidos como o linho, porque fica muito vincado. E nada de camisolas de lã grossa ou com borbotos para o trabalho. Deixe essas peças para o fim-de-semana. Mantenha sempre uma imagem profissional e cuidada.

7. Os excessos

Ninguém quer estar ao pé de alguém com um perfume muito forte, com uma maquilhagem de noite em pleno dia, com peças que de tão brilhantes até ofuscam ou com tanta bijuteria que mais parece uma árvore de Natal.

Certifique-se também que as suas pulseiras e anéis não provocam ruído ao bater na mesa, pois pode tornar-se irritante. Escolha acessórios de boa qualidade (relógio, anel, colar, brincos e lenços), evitando os materiais mais informais como fitas, plástico, corda e correntes. Sobretudo, tenha atenção à formalidade da sua área de actividade, pois quem está no atendimento ao público é um cartão de visita da sua empresa.

No caso dos homens, evite barba por fazer, excesso de gel no cabelo, t-shirts com frases e gravatas com bonecos.

No atendimento ao público também não é permitido, habitualmente, o uso de piercings, tatuagens à vista, rastas, extensões no cabelo e tranças coloridas. Informe-se do código de vestuário e imagem da sua empresa.

8. Roupa interior à vista ou desadequada

Na hora de escolher um decote, certifique-se de que este é discreto e não revela mais do que é suposto. Se a sua lingerie ficar à vista é porque o decote não é adequado ou as alças são demasiado finas. Evite também transparências e use-as sempre com um top por baixo. Se usar peças de tecidos finos ou muito claras, o melhor será escolher roupa interior lisa e da cor da pele. Evite também tops cai-cai e soutiens com alças de silicone, pois estas ficam visíveis. Do mesmo modo, prefira cuecas com corte a laser, se usar peças mais justas, de forma a não marcar o corpo. A regra é simples: a roupa interior nunca deve ficar à mostra no local de trabalho. E muito importante: é obrigatório o uso de soutien!

9. Não respeitar a farda e calçado desadequado

Se usa farda, tenha em atenção o tipo de acessórios que vai escolher. Nada de peças de baixa qualidade ou que choquem com o visual corporativo. Esqueça também a bijuteria muito exuberante ou mais indicada para a noite.

Deve apresentar calçado de qualidade, limpo e engraxado. Nada de usar sapatos com um ar velho ou sujo. Tenha sempre uma escova ou esponja para sapatos na gaveta da sua secretária ou cacifo, de forma a dar um retoque, se necessário.

Evite também ténis, saltos muito altos, sapatos com tachas, correntes ou brilhos e se estiver num ambiente formal não se esqueça de usar calçado que cubra o pé (sem mostrar os dedos e os calcanhares), assim como collants finos. Esqueça os collants muito coloridos, com recortes ou com motivos para um ambiente profissional.

10. Ausência ou excesso de maquilhagem

Se está no atendimento ao público, prefira uma maquilhagem natural e discreta. É importante uniformizar o rosto e esconder as olheiras, as manchas e as borbulhas. Opte por colocar um creme com cor ou misture a base com o seu creme habitual, se tem pouco tempo de manhã. Depois corrija as olheiras e coloque um pouco de pó solto, blush, uma máscara de pestanas e um hidratante labial. Afinal, apenas necessita de cinco minutos para ficar com um aspecto mais saudável e radioso, mesmo que tenha dormido poucas horas.

Evite usar sombras muito escuras, brilhantes ou coloridas, pó bronzeador em todo o rosto ou uma base mais escura do que o seu tom de pele, para não ficar com uma linha de cor, junto ao maxilar, e notar-se a diferença da face para o pescoço, pois vai ficar com um aspecto artificial. Se costuma maquilhar-se no percurso para o trabalho, verifique também se não colocou excesso de produto, se a maquilhagem ficou igual nos dois lados do rosto e se o risco do lápis está direito e proporcional.

Consultora de Comunicação e Imagem

In Styleland – Image and Communication Consulting

Blogue: www.instyleland.com

Facebook: https://www.facebook.com/InStyleland

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Imagem DVfinal

Uma ideia para o futuro de Portugal

José Galamba de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Seguradores. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)

“Catástrofes mais frequentes vão tornar os seguros mais caros”

(Joao Silva/ Global Imagens)

Transição das rendas antigas acaba. Cem mil famílias vão pagar mais

Outros conteúdos GMG
Os 10 erros de imagem a evitar no atendimento ao público