preço dos combustíveis

Porque é que o preço dos combustíveis não desce como a cotação do petróleo?

As cotações do petróleo estão a descer de forma acentuada desde o final de junho, tanto em dólares como em euros. Mas segundo alguns segmentos do mercado, principalmente do lado dos consumidores, os preços dos combustíveis em Portugal não têm estado a descer na mesma proporção. A associação do sector emitiu uma nota ontem com alguns esclarecimentos sobre o tema, mas há especialistas que consideram que os preços finais já podiam ter descido mais. O Dinheiro Vivo explica-lhe (quase) tudo.

1.A gasolina e o gasóleo são feitos através da refinação de petróleo, o que significa que é preciso comprar o crude ao preço da cotação internacional. E quando o processo está concluído, o preço dos combustíveis é também definido com base em valores internacionais. Ou seja, o preço base do que é consumido em Portugal é fixado lá fora.

2.Uma vez que a gasolina e o gasóleo são produtos que passaram por um processo que é muito caro (refinação) e o petróleo é apenas a matéria-prima, as cotações têm valores diferentes e, por isso, os preços não descem da mesma forma. “Vários factores como a sazonalidade do consumo, as condições meterológicas e as própria disponibilidade das refinarias são responsáveis pelas diferenças de comportamento nos mercados referidos”, diz a APETRO numa nota enviada ao final do dia.

3.Isto significa que os preços do petróleo tendem a ter oscilações maiores que os preços da gasolina e do gasóleo nos mercados internacionais e, consequentemente, o reflexo das oscilações é também inferior nos preços cobrados ao consumidor. Quando o petróleo atingiu os máximos históricos de 150 dólares o barril em 2008, os preços dos combustíveis subiram mas não nos mesmos níveis. Aliás, os máximos históricos em Portugal foram atingidos apenas em 2012 com o gasóleo a passar os 1,50 euros por litro e a gasolina a passar os 1,60 euros por litro.

4.Segundo dados da Bloomberg, ontem, o barril de brent – que é o petróleo usado na Europa – fechou a pouco mais de 85 dólares, o valor mais baixo dos últimos quatro anos. E em Nova Iorque, o crude tem fechado perto dos 81 dólares, o valor mais baixo dos últimos dois anos.

5.Além disso, desde o final de junho e até ao início da semana a cotação do petróleo caiu 23%, mas a gasolina apenas desvalorizou 19,5% e o gasóleo 17%.

6.E se convertermos para euros, a descida é ainda inferior porque o euro está muito desvalorizado face ao dólar neste momento. Assim, entre o final de junho e o início desta semana a quebra da cotação do petróleo foi de 17% em vez de 23%, a gasolina perdeu 13% em vez dos 19,5% e o gasóleo recuou 11% em vez de 13%.

7.Mas isto são as cotações, ou seja, o preço base que, segundo dados da APETRO, custam cerca de 54 cêntimos na gasolina e de 55 cêntimos no gasóleo (é mais caro porque a Comissão Europeia obriga a incorporar biocombustíveis). É depois preciso somar os custos fixos, ou seja, impostos e custos logísticos que são, por exemplo, os custos do transporte dos combustíveis da refinaria para as bombas.

8.Assim, o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) – uma taxa definida pelo Orçamento do Estado – vale 58,595 cêntimos por litro na gasolina e 36,941 cêntimos por litro no gasóleo. Este imposto paga IVA a 23% o que representa 13,477 cêntimos por litro na gasolina e 8,496 cêntimos por litro no gasóleo. Contas feitas, esteja a cotação mais ou menos alta ou baixa, ao preço final acrescem sempre impostos de 72,07 cêntimos por cada litro de gasolina e 45,44 cêntimos por cada litro de gasóleo

9.E quanto à logística, segundo a APETRO, na gasolina ela custa cerca de 12,5 cêntimos por litro e no gasóleo cerca de 11,7 cêntimos por litro.

10.Soma-se tudo, aplica-se mais um imposto – o IVA a 23% – e tudo junto dá o preço final da gasolina e do gasóleo que, segundo a Direcção Geral de Energia e Geologia (CGEG) caíram, respetivamente, sete cêntimos no gasóleo e oito cêntimos na gasolina desde o início de junho. Ou seja, um litro de gasolina custa agora, em média, 1,52 euros e um litro de gasóleo vale 1,27 euros. São os valores mais baixos desde 2011.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, durante a sua audição na Comissão de Saúde, na Assembleia da República, em Lisboa, 27 de fevereiro de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

ADSE já enviou novas tabelas de preços aos privados para negociação

Mario Draghi, Presidente do Banco Central Europeu. REUTERS/Kai Pfaffenbach

BCE discutiu pacote de medidas para estimular economia na reunião de julho

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Outros conteúdos GMG
Porque é que o preço dos combustíveis não desce como a cotação do petróleo?