Porto no topo dos destinos mais procurados para o fim de ano

Aregião do Porto, o Algarve e a Madeira estão entre os destinos mais procurados pelos portugueses para passar o réveillon fora de casa, este ano. Alguns dos melhores hotéis portugueses já estão esgotados para essa noite, como é o caso do The Yeatman e do Hotel Intercontinental, no Porto, ou do H2otel, na serra da Estrela.

Nos canais de venda online, nomeadamente o motor de busca Trivago, a região do Porto está no topo da procura dos portugueses nos últimos três meses para a noite de réveillon, seguindo-se Lisboa, Figueira da Foz, Albufeira, Funchal, Sintra, Cascais, Vilamoura, Braga e Sesimbra. Na noite de 31 de dezembro, já só estão disponíveis 47,5% dos hotéis no Porto, 26,2% no Algarve e 24,5% no Funchal. “Quanto a preços, a noite de passagem de ano custa, em média, 100euro em Lisboa, 64euro no Porto e 234euro no Funchal. Em Vilamoura, o quarto duplo está avaliado em 90euro e em Albufeira 95euro”, adiantou fonte da Trivago, numa busca exclusiva para o Dinheiro Vivo/JN.

Coberta de branco, a serra da Estrela é o cenário perfeito para uma passagem de ano memorável. “O H2otel está esgotado há um mês para o fim do ano. Os hotéis da Covilhã e da Guarda estarão ainda a 50%”, revelou Luís Veiga, presidente do Grupo Natura IMB Hotels. “Continuamos prejudicados pelos custos das portagens nas ex-scut. Já emitimos 10 mil vouchers, correspondendo a 300 mil euros de descontos, para compensar os clientes no valor das portagens”, apontou.

Também o Hotel dos Carqueijais já está ocupado a 65% para a noite de fim de ano e o Hotel Serra da Estrela e os Chalés de Montanha estão ainda mais preenchidos, a 75% e 85%, respetivamente, segundo Rui Abrantes, diretor-geral no grupo Turistrela.

O presidente da Associação da Hotelaria e Empreendimentos
Turísticos do Algarve, Elidérico Viegas, revela que “com um crescimento
acumulado de 11,7% por parte dos portugueses, este ano, as perspetivas
para a passagem de ano são de que se mantenha a procura”. Tal como em
anos anteriores, “talvez tenha aumentado um pouco a tendência de alguns
hotéis algarvios encerrarem no inverno, mas há sempre aqueles hotéis
vocacionados para programas de fim de ano, em Vilamoura, Albufeira e
Montegordo, que vendem bem essa data”.

Também a nível de destinos lá fora, a procura fez-se sentir, especialmente na Expo Abreu, o primeiro mercado de viagens de inverno realizado pela maior rede de agências de viagens em Portugal, onde alguns destinos esgotaram em determinadas datas.

“Os resultados deste primeiro mercado de viagens de inverno foram tão interessantes que já é ponto assente que vamos repetir o evento em 2015”, adiantou o porta–voz da Agência Abreu. Realizado no início de novembro, o mercado oferecia até 50% de desconto em viagens a realizar até 31 de março e o produto remanescente continua a ser vendido nas 145 lojas e online até 8 de dezembro, porém alguns pacotes esgotaram para determinadas datas e a Agência teve de “reforçar a oferta para esses destinos, disponibilizando agora novas viagens em novas datas”.

“O que vendeu mais, em termos de volume, por ordem, foi a hotelaria em Portugal continental, seguido de Madeira e Açores, Brasil, cruzeiros (fluviais no Douro e marítimos no Mediterrâneo e Caraíbas), Cabo Verde, Neve (Espanha e Andorra), Espanha Peninsular, Canárias e Baleares, Dubai, Turquia e Grandes Viagens (Nova Iorque e Miami”, revelou a mesma fonte.

No que respeita a viagens de réveillon, as mais vendidas têm como destino “a Madeira, o Algarve, Marrocos (Marraquexe), Cabo Verde, Dubai, City Breaks europeias (com destaque para Istambul) e Brasil”, adiantou.

Na Madeira, por exemplo, as unidades do Grupo Pestana já estavam também completamente esgotadas desde meados de novembro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Porto no topo dos destinos mais procurados para o fim de ano