WePinch: Rede social portuguesa para profissionais chega ao Brasil

Em apenas dois meses, um novo videojogo português angariou 240 mil euros para se tornar realidade.

Os criadores do ApocalipZ não procuraram investimento no Indiegogo, nem
noutra plataforma de crowdsourcing: conseguiram tudo na rede portuguesa
WePinch, que está online desde o início do ano. Agora, a rede social
para profissionais e start-ups chega ao Brasil.

“Somos a primeira rede social portuguesa a chegar ao Brasil”, dizao Dinheiro Vivo a fundadora da WePinch, Andreia Onofre, lembrando que a rede StarTracker – que reúne talentos nacionais – não é aberta. O sucesso do investimento no jogo de computador ApocalipZ, criado pelo estúdio TheGameWall, permitiu que fosse finalizado e apresentado na maior feira de jogos do Brasil, a Brasil Game Show, e entrasse em tempo recorde na plataforma de distribuição Steam GreenLight. O jogo estará disponível em abril de 2015.

“Chegámos ao Brasil com cerca de 10 mil utilizadores. Em duas semanas tivemos 125 projetos, 600 profissionais e no total 12 mil utilizadores. São 2500 projetos no total”, reve-la Andreia Onofre. O conceito daWePinch é inovador: junta start-ups, profissionais e investidores. Uma espécie de LinkedIn com KickStarter. “O WePinch é muito original naquilo que faz online”, diz a criadora. A escolha do Brasil como primeiro destino de internacionalização está relacionada com a língua e também com os interesses entre empresas e profissionais dos dois países. Além disso, a rede tem o apoio local da Sales Engine Online – que criou a plataforma em parceria com Andreia Onofre.

“Queremos chegar a 50 mil utilizadores até ao final deste ano. Vamos fazer a ativação da marca no terreno, temos já alguns eventos preparados e uma grande campanha de comunicação associada à bolsa de desenvolvimento para jogos e aplicações que vamos fazer.” Esta bolsa, no valor de 40 mil euros, destina-se a financiar projetos inovadores que entrem dentro do WePinch e será sustentada pelo estúdio que desenvolveu o ApocalipZ – uma “contribuição” para o desenvolvimento da rede, segundo o fundador da TheGameWall, o português Eduardo Monteiro.

Entre os projetos que já surgiram desde a entrada no Brasil está uma agência de celebridades, que faz a ligação entre aquilo que as agências de publicidade procuram e as celebridades que irão representar melhor a marca ou produto. Também há uma empresa de degustação de cachaça, uma loja de e-commerce para chocolates finos importados e uma aplicação para comida biológica com entregas ao domicílio. “A distribuição dos profissionais é por todas as cidades, mas os projetos estão mais centrados no Estado de São Paulo”, adianta Andreia Onofre.

Como a rede já está também em inglês e espanhol, a expansão para lá do Brasil já está no horizonte. “Assim que chegámos ao Brasil, começámos a perceber demonstrações de interesse de países vizinhos. É nosso objetivo continuarmos a expandir na América Latina.”

As áreas com mais projetos são tecnologias de informação, web, móvel e jogos. Mas há um dado curioso: “Os interesses dos investidores dentro do WePinch ligam-se, em primeiro lugar, a comunicação e média, e em segundo lugar a web, apps, sites e plataformas tecnológicas.”

Até agora, a rede tem-se desenvolvido com financiamento interno – só a fase de lançamento custou 150 mil euros e, entretanto, os criadores tiveram de migrar para outra tecnologia, o que atrasou a expansão internacional. Quase um ano após o lançamento, a WePinch ainda não está a ser rentabilizada. O modelo de negócio passa por publicidade e “micro modelos”, ainda em estudo. Mas a confiança dos fundadores continua a ser, como diz Andreia Onofre, “imbeliscável”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página Inicial

Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, com responsáveis da VW na apresentação do T-Roc. Fotografia: DR

Caldeira Cabral confiante em acordo com trabalhadores da Autoeuropa

Fátima Barros, presidente da Anacom
Fotografia: Álvaro Isidoro / Global Imagens

Operadores dificultam rescisões de contratos e Anacom divulga alternativas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
WePinch: Rede social portuguesa para profissionais chega ao Brasil