Cinco aplicações de namoro em tempos de pandemia

Com as atividades sociais restritas pela covid-19, as apps de encontros estão a crescer de forma expressiva e adicionaram ferramentas para ajudar os utilizadores a encontrarem boas ligações online.

Há quase um ano sob formatos variados de distanciamento social, os solteiros que andam à procura de companhia aderiram em massa às soluções digitais para conhecerem novas pessoas. De acordo com um estudo da Apptopia, publicado no final de novembro passado, as aplicações de namoros estão em alta. As 20 apps mais usadas do mercado ganharam 1,5 milhões de utilizadores diários em 2020, invertendo a tendência de queda que se vinha verificando. Não são só os nomes grandes que estão a crescer, como Tinder e Bumble, mas também apps de nicho, como a Flutter e a Bubbli, ou as que são viradas para a comunidade LGBTQ+, Grindr e Her.

A adição de conversas por vídeo dentro das apps, sem necessidade de revelar informação pessoal, ajudou ao crescimento. E com as regras de distanciamento social a entrarem por 2021 dentro, a expectativa é de que a subida se mantenha. No mês do amor, estas são cinco das melhores opções disponíveis, incluídas na lista de mais descarregadas em 2020.

1. Tinder

A app que popularizou o deslizar de perfis para a direita (sim) ou para a esquerda (não) lidera os rankings: em 2020, foi descarregada por 74 milhões de pessoas. É simples de usar e permite a rápida criação de um perfil, com apenas umas frases e fotos. Baseia-se na proximidade - quem anda à procura perto de mim? - e oferece chamada de vídeo, tendo adicionado também um "botão de pânico" para o caso de um encontro não estar a correr bem. É gratuita mas tem opções pagas: o Tinder Plus (4,99 euros/mês), que permite dar gostos ilimitados e cinco superlikes por dia, o Tinder Gold (14,99), que tem também a possibilidade de ver quem lhe pôs likes.

2. Bumble

Criado por uma das cofundadoras do Tinder, o Bumble diferencia-se porque é a mulher que tem de enviar a primeira mensagem quando se dá uma correspondência com outro utilizador. Também inclui chamadas de vídeo e tem um formato alternativo para quem anda apenas à procura de amigos. Sharon Stone foi uma das utilizadoras mais célebres da app, tendo sido reportada várias vezes porque os utilizadores achavam que o perfil era falso. É grátis, mas tem uma opção Boost cuja assinatura custa 9,99 euros e pode adquirir pacotes de BumbleCoins para obter melhoramentos a preços que variam entre 1,99 e 34,99 euros.

3. Happn

Esta app é virada para o imediatismo local, mostrando os perfis dos outros utilizadores que cruzaram o seu caminho recentemente. A disposição dos perfis mostra onde e a que horas ambos se encontraram no mesmo sítio e permite mostrar interesse com um "gosto". Se for mútuo, é possível abrir uma conversa. A opção paga - o Premium custa entre 14,99 por um mês e 53,99 euros por seis meses - dá a capacidade de ver quem gostou do seu perfil e a possibilidade de dizer olá a outros perfis.

4. Plenty of Fish

Operada pelo mesmo grupo que detém o Tinder, a Plenty of Fish é mais antiga e tem como vantagem uma grande abrangência, com 150 milhões de utilizadores globais. Não tem funcionalidades complexas e talvez por isso é popular: o perfil pode ter apenas idade, nível de educação e profissão e está pronto para a excursão exploratória. Tem uma versão paga com mais opções (assinaturas pagas em dólares que vão dos 38,99 por três meses aos 89,99 por um ano), mas a possibilidade de fazer encontros por vídeo, essencial na pandemia, é gratuita.

5. Facebook Dating

Não é uma app isolada, por isso não aparece no ranking das mais descarregadas, mas em pouco mais de um ano tornou-se extremamente popular. O Facebook Dating é uma funcionalidade dentro da rede social que encoraja os utilizadores a encontrarem relacionamentos de longa duração, não encontros pontuais. As correspondências baseiam-se nas preferências, interesses e atividades, sendo possível selecionar até 9 "paixões secretas" entre os amigos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de