Rock in Rio

Comboios de Sintra e Cascais à borla para quem tem bilhete do Rock in Rio

Rock in Rio é cada vez mais uma marca

A organização do Rock in Rio apresentou plano de oferta de transporte. Há descontos, shuttles, horários alargados e táxis a preços fixos.

O Rock in Rio arranca dia 23 de junho e esta 8ª edição terá um plano reforçado de oferta de transportes, desenhado para que cada vez mais pessoas usem transportes coletivos em detrimento do individual para chegarem à cidade do rock.

À espera dos milhares de festivaleiros (na edição de 2016 convergiram ao Parque da Bela Vista mais de 300 mi pessoas) haverá as mais diversas soluções, querem cheguem (ou regressem) de metro, de autocarro, comboio, táxi, barco ou bicicleta. Ao todos são 12 os operadores que integram o plano de mobilidade do RIR e que asseguram cobertura de transportes de norte a sul do país.

Além de horários alargados, muitas das empresas vão também reforçar a oferta. Será este o caso do Metropolitano de Lisboa que, nos dias do festival (23, 24, 29 e 30 de junho) terá as portas abertas até as 3h00 da manhã nas quatro linhas em em 30 estações.

Na CP, será possível usar os comboios das linhas de Sintra e de Cascais de borla, mediante a apresentação do bilhete de entrada no Rock in Rio, e na Fertagus (comboios que atravessam a ponte 25 de abril) há oferta de vouchers de estacionamento nos parques de automóveis localizados ao longo das várias estações da margem sul.

Mas há mais. A Mytaxi vai pela primeira vez assegurar táxis coletivos na cidade de Lisboa, sendo que as viagens terão um preço fixo. A tudo isto juntar-se-á o shuttle que, por 12 euros, assegura o trajeto entre a cidade do rock e vários pontos à volta de Lisboa: Cascais Villa, Beloura Shopping, Oeiras Parque, Strada Outlet e Forum Montijo.

Tudo somado, esta será a edição do festival com maior oferta e soluções de mobilidade porque, como refere Roberta Medina, vice-presidente executiva do RIR, “acreditamos que o trabalho desenvolvido com estes operadores e empresas parceiras vai resultar numa maior adesão ao uso dos transportes coletivos, em detrimento do transporte individual, em linha com o nosso compromisso na construção de um mundo mais sustentável.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O antigo secretário de Estado da Energia e da Inovação, Henrique Gomes, fala perante a Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade, na Assembleia da República em Lisboa, 23 de janeiro de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Henrique Gomes disse que “Mexia é osso duro de roer” e teve de sair da REN

A área alimentar gerou vendas históricas de quatro mil milhões de euros. Fotografia: D.R.

Sonae atinge vendas recorde de 6,3 mil milhões com impulso do Natal

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Universidade Católica prevê menos crescimento em 2018 e 2019

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Comboios de Sintra e Cascais à borla para quem tem bilhete do Rock in Rio