Internet

Etiópia bloqueou acesso à internet para impedir ‘copianços’ nos exames

foto: DR
foto: DR

Apesar de não ter sido confirmada pelas entidades da Etiópia, os dados apontam que o país tenha bloqueado momentaneamente o acesso à Internet.

A situação é apontada pelo grupo Net Blocks, que aponta um ‘blackout’ total no acesso à Internet esta terça-feira, durante o tempo dos exames nacionais da Etiópia.

Os dados que circulam no Twitter, visíveis na conta Internet Intelligence, mostram também uma acentuada quebra no tráfego durante o período de tempo dos exames.

De acordo com o site Africa News, não é a primeira vez que esta situação ocorre na Etiópia. Em 2017, uma fonte oficial terá reconhecido à Reuters esta prática, para “prevenir a fuga de informação”. Era ainda explicado que se tratava de uma medida “proativa”. “Queremos que os nossos estudantes se concentrem e que estejam livres da pressão psicológica e distrações [da internet]”, indicava Mohammed Seid, responsável governamental, à Reuters.

Leia também | Rússia quer desligar-se da Internet para exercício de defesa

Há uns anos, uma fuga de informação e divulgação das provas de exame na internet motivou inclusive o cancelamento dos exames.

Esta prática de bloqueio de acesso à internet está a merecer fortes críticas por parte de grupos que defendem os direitos digitais. Em África, bloqueios deste género têm sido recorrentes, com os grupos ativistas a defender que “se trata de uma violação dos direitos humanos”, com práticas perigosas para a democracia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E) e o Ministro das Finanças, Mário Centeno (D) no debate na generalidade do OE2020 (Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP).

Finanças confirmam encaixe de 30 milhões com aumentos da função pública

Lisboa, 01/10/2013 - Decorreu esta tarde na Fundação Champallimaud a Assembleia Geral da Zon Optimus 
Isabel dos Santos, accionista da Zon Optimus e Mário Silva, Zopt
(Diana Quintela/Global Imagens)

Administradores da NOS envolvidos no Luanda Leaks renunciam

Tchizé dos Santos,filha do ex-presidente da República angolano. (JOÃO RELVAS/LUSA)

Irmã de Isabel dos Santos desafia empresária a devolver 75 milhões a Angola

Etiópia bloqueou acesso à internet para impedir ‘copianços’ nos exames