Eurovisão

Eurovisão em Jerusalém? “Não marquem já as viagens”, avisa organização

Netta, representante de Israel, venceu a edição de 2018 do festival Eurovisão, realizado no Altice Arena, em Portugal, com a música Toy.
(EPA/JOSE SENA GOULAO
Netta, representante de Israel, venceu a edição de 2018 do festival Eurovisão, realizado no Altice Arena, em Portugal, com a música Toy. (EPA/JOSE SENA GOULAO

Vencedora e primeiro-ministro da Israel queriam que a final se realizasse na cidade de Jerusalém. Organização ainda não definiu nada

“Para o ano em Jerusalém!” Esta foi a frase proferida por Netta, a representante de Israel, após o país ter vencido a primeira edição de sempre da Eurovisão em Portugal. Só que nesta altura ainda não é certo em que cidade de Israel será realizado o concurso em 2019.

A Eurovisão publicou esta terça-feira uma mensagem nas redes sociais a pedir aos fãs deste certame para não marcarem já as viagens para Israel.

“Já estão à espera da Eurovisão do próximo ano? Nós também. Mas não comprem já as vossas viagens. Para informações oficiais ou saber onde é que o evento será realizado, fiquem atentos aos nossos canais oficiais”, refere a Eurovisão na publicação.

Além de Netta, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyhau, através da sua conta oficial na rede social Twitter, disse o mesmo. “No próximo ano em Jerusalém”, lê-se numa publicação partilhada pouco depois das 00:00 de hoje, acompanhada de um vídeo com a consagração de Netta.

No entanto, no final da conferência de imprensa com a vencedora, o supervisor executivo do Festival Eurovisão da Canção, Jon Ola Sand, disse que ainda “não foi definida cidade nem data”.

Israel acolheu o Festival Eurovisão da Canção em 1979 e em 1999, por ter vencido nos anos anteriores. Só que em 2018 vive-se sob tensão em Jerusalém, que não é reconhecida como capital de Israel por parte da União Europeia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
16. Empregados de mesa

Oferta de emprego em alta no verão segura aumento de salários

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (Fotografia: José Coelho/ Lusa)

Marcelo aprova compra do SIRESP. Governo fica com “acrescidas responsabilidades”

draghi bce bancos juros taxas

BCE volta a Sintra para o último Fórum com Draghi na liderança

Outros conteúdos GMG
Eurovisão em Jerusalém? “Não marquem já as viagens”, avisa organização