Dinheiro Vivo TV

Galaxy S10+: uma bateria cheia de capacidade e quase, quase só ecrã

A carregar player...

Passámos algum tempo com o S10+, o telefone de maiores dimensões da linha Galaxy.

O S10+ consegue ter praticamente as mesmas dimensões do antecessor, mas ter um ecrã que visualmente o faz parecer bem maior. Trata-se de um telefone com 6,4 polegadas, mas que consegue parecer ainda maior graças à quase ausência de molduras nas laterais do equipamento.

Apesar de isto ser um ponto a favor, a falta de margens nas laterais traz alguns incidentes – nomeadamente quando se ativa sem querer algumas funcionalidades, com falsos positivos de toque.

Leia também | “Smartphone é a máquina que se tornou na extensão do nosso corpo”. Os hábitos de Lourenço Medeiros

Entre as principais novidades, conta-se a aposta numa câmara tripla, disposta na horizontal (o antecessor optava pela disposição na vertical), o sensor de impressão digital já colocado no ecrã. O sensor de impressão digital é rápido, ainda que exista alguma curva de aprendizagem para ‘apanhar’ à primeira a localização exata, para conseguir desbloquear o telefone em poucos toques.

Há ainda a possibilidade de carregar outros dispositivos. A funcionalidade de carregamento sem fios chama-se PowerShare e só funciona se o smartphone estiver acima dos 30% de bateria. A Samsung foi ‘generosa’ aqui: o carregamento pode não ser o mais rápido, mas não exclui equipamentos de outras marcas, já que basta que sejam compatíveis com carregamento sem fios.

O preço base deste S10+ arranca nos 1030 euros.

Leia mais sobre o mundo da tecnologia em insider.dn.pt

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Galaxy S10+: uma bateria cheia de capacidade e quase, quase só ecrã