restauração

Aruki by Confraria. Lisboa vai ter sushi ao domicílio através de uma app

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O serviço começa a funcionar a partir de quinta-feira em Lisboa. O objetivo é expandir a outras zonas, eventualmente, através de franchising

Não há mensageiro japonês à antiga, cheio de tatuagens, mas o Aruki by Confraria arranca na quinta-feira o serviço de entregas de sushi ao domicílio. O projeto une os fundados do restaurante de sushi Confraria, Viviane e Jorge Leote, a Martim Botton, até aqui ligado aos gelados Santini.

O Aruki by Confraria implicou um investimento de 200 mil euros, tendo criado 30 postos de trabalho. “Nos primeiros 12 meses de atividade esperamos atingir vendas de um milhão de euros”, antecipa Martim Botton.

O gestor explica o novo projeto. “Sentimos que no mercado nacional, ao contrário do que já existe fora de Portugal, a oferta de delivery de comida é bastante limitada. Com o crescimento do mercado e da apetência por novas tecnologias, fomos à procura de um parceiro que nos conseguisse apoiar nesta área, uma vez que tentarmos desenvolver uma aplicação de raiz acarretaria não só um investimento muito alto como também perderíamos o time to market.”

“Ao fazer um estudo de mercado, falando com vários restaurantes para aferir o interesse numa plataforma tecnológica deste tipo, tivemos a feliz coincidência de, quando falámos com a Confraria, sermos apresentados ao Francisco Lino que estava há alguns anos a desenvolver uma plataforma que encaixava na perfeição no que pretendíamos. Dado que foi a Confraria a introduzir e que esta conversa já tinha acontecido entre o Francisco e os sócios da Confraria, desafiaram-nos para lançarmos o Aruki em conjunto. Para nós, seria também uma excelente oportunidade de testarmos a nossa aplicação e apostar num mercado em crescimento em Lisboa como o delivery de sushi”, continua.

Surgiu a Aruki, uma marca criada pela 9 The Creative Shop. Aruki “era o nome dado aos mensageiros ancestrais que durante os séculos XVII e XIX tinham a função de entregar mensagens de forma rápida e eficiente. Os seus corpos eram normalmente revestidos com tatuagens pois para uma corrida confortável traziam apenas uma espécie de tecido a tapar a cintura e o resto era ‘tapado’ e adornado com esta arte”, explica Martim Botton.

Através da aplicação (disponível para sistema operativo iOS e Android) o cliente pode fazer o pedido e o pagamento no sistema, programar as suas encomendas em 48h e enviar mensagens ao Arukiboy (que assegura as entregas), bem como acompanhar a encomenda em tempo real. Entregam num raio de 2,5 km em torno do Marquês de Pombal, em Lisboa, a mesma zona onde se localiza a primeira loja Aruki, na Travessa do Enviado de Inglaterra, nº14, onde também pode levantar o pedido.

“Nesta primeira loja iremos entregar apenas no raio de 2,5 km, dessa forma atingimos apenas o centro de Lisboa. No entanto, o nosso objetivo é que possamos um dia servir Lisboa inteira e também outras zonas do país”, diz Martim Botton. E, até “ao final do ano é termos, pelo menos, dois pontos de venda”,a admitindo expansão a outras cidades do conceito, através de franchising.

Martim Botton destaca as vantagens do novo conceito face a outros restaurantes de sushi com serviço de entrega. “Para além de termos o “selo” de qualidade da Confraria, que é reconhecido como um sushi de excelência, apostaremos no fator tecnológico como outra das grandes diferenciações”, defende. “A eficiência no serviço é igualmente outra das nossas apostas, ou seja, pretendemos que o cliente a partir do momento que coloca a sua encomenda na nossa app, site ou call center, a possa receber, no pior dos cenários, passado 1 hora”, garante.

As entregas são feitas a partir de encomendas de 15 euros, sendo disponibilizados dois menus base, Salmão ou Fusão, com 17 (15 euros) ou 34 peças (25 euros), mas há várias opções de sushi avulso e entradas, como sopa Misoshiru, Edamame, Salada Wakame, Tartar Kimuche, Sunomono e Poke Bowls, bem como ceviches, do restaurante Waka, do mesmo grupo de o Confraria.

“Foi criado um menu especial para o Aruki. Certamente temos peças que se cruzam com o menu ca Confraria, mas o objetivo é que o Aruki seja uma marca “by Confraria”, isto é, que a Confraria faça uma espécie de curadoria no que diz respeito à confeção e escolha dos pratos e compra criteriosa das matérias-primas”, explica Martim Botton.

“Como queríamos ter outros dois produtos para além de sushi, como ceviches e pokes, e como o Waka é um restaurante do grupo Confraria especializado em comida Nikkei (fusão da cozinha peruana com a japonesa), achámos que mais uma vez traria valor acrescentado criarmos uma parceria com um restaurante com a qualidade e know-how do Waka”, explica Martim Botton. Mas não só. “Outra das razões pela escolha do Waka foi igualmente por ser um restaurante apenas com espaço físico em Cascais, conseguir trazê-lo a um público mais alargado em Lisboa”, diz.

A sobremesa é do Santini. A escolha foi “pela vontade de termos um gelado como sobremesa e de Santini ser a referência em termos de qualidade de gelados”, assegura.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Reuters

PME vão criar mais 70 mil empregos em Portugal

PCP

Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018

Francisco Pedro Balsemão, CEO do grupo Impresa. Foto: DR

Impresa.Reestruturação já atingiu 20 trabalhadores. E chegou ao Expresso

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Aruki by Confraria. Lisboa vai ter sushi ao domicílio através de uma app