televisão

Game of Thrones. Qual é a casa mais rica de Westeros?

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Terra, exércitos, ouro e dragões. Que recursos é que transformam as casas de Westeros em famílias abastadas?

A conhecida série regressou para a sua oitava – e última – temporada. A Bloomberg foi perceber quem é que são as famílias mais ricas dos Sete Reinos, tendo em conta todas as peripécias das temporadas (sem spoilers do episódio mais recente).

Tully, Targaryen, Stark ou Lannister são as famílias – ou casas – criadas no universo literário de George R.R. Martin. Ao todo, são cinco livros de dimensões generosas que serviram de base à adaptação televisiva, feita pela HBO.

Na série já é de alguma forma percetível quais são as casas mais abastadas de Westeros, mas os livros dão um contexto económico muito mais rico às posses de cada casa. As nove famílias mais conhecidas lutam por poder e domínio – tudo com o intuito de se sentarem no Trono de Ferro.

Mas a Bloomberg não se contentou em fazer um ranking das casas mais ricas: também quis comparar onde começam no início do drama televisivo e como é que o ‘jogo dos tronos’ influenciou os ativos de Starks ou Lannisters.

Começando pelo ponto-chave: ter um dragão é realmente um ‘game changer’, pelo menos para a família Targaryen. Mesmo na fantasia já eram uma criatura mítica, onde se presumia que os dragões já não existiam. “Se se tiver um dragão, têm um dos maiores benefícios económicos do mundo”, diz Steve Schuetz, diretor da Valuation Research Corporation.

Porquê? Pela capacidade de ameaçar outras instituições – como o Iron Bank of Braavos , por exemplo, a instituição financeira dominante. “Têm não só a capacidade para se protegerem mas também para ser agressivo e conseguir tudo aquilo que se quiser”. Para quem acompanha a série, não é muito difícil perceber que é isto que Daenerys Targaryen tem colocado em prática. E, sem surpresa, é isto que coloca a família da ‘Mother of Dragons’ no topo da lista dos mais ricos de Westeros.

1 – Casa Targaryen
Na primeira temporada, a família situava-se no último lugar da lista – o que motivou o casamento arranjado entre Daenerys e Khal Drogo. Na última temporada, os Targaryen passam para o topo da lista: além de dois dragões, domina também a cidade de Slave’s Bay e tem Casterly Rock na lista de propriedades. Além disso, ainda tem um poderoso exército, composto pelos guerreiros de elite Unsullied e pelos Dothraki.

Além disso, há mais um bem precioso na posse desta Targaryen: a fortaleza de Dragonstone, onde existe dragonglass. Vale a pena lembrar que esta é uma poderosa arma para conseguir lutar contra os White Walkers.

2 – Casa Lannister
Podem ter como lema de casa “Um Lannister paga sempre as suas dívidas”, mas a verdade é que já houve dias melhores para as finanças da família de Cersei e companhia. Do primeiro lugar no início da série, os Lannister caem uma posição.

Michael Whitmire, CEO da FloQast, ajudou a Bloomberg nesta tarefa, já que tinha criado uma espécie de relatório financeiro dos Lannister, há alguns anos. Na quarta temporada, a casa teria algo como mais de 13 mil milhões de dólares (juntando terras, exércitos e muito mais). A conversão é complexa, já que é preciso tentar perceber a quanto equivale a moeda da série – os dragões de ouro.

Conversões à parte, a família deve a sua riqueza aos empréstimos feitos à casa Baratheon, aos seus bem equipados exércitos e também às trocas comerciais com outros reinos. Além disso, os Lannister também têm boas relações com o Iron Bank, o que lhes garante uma posição privilegiada em Westeros. Só assim é que haveria justificação para Cersei ter conseguido um generoso empréstimo para adquirir um exército de mercenários.

3 – Casa Arryn
Esta família começa e acaba com o mesmo lugar do ranking. As defesas naturais da região onde se situa The Eyrie são uma vantagem e ajudam a valorizar o património desta casa. A menos que se tenha um dragão, claro.

Liderada pelo jovem Robyn Arryn, os exército da casa e também as restantes famílias com quem têm boas relações colocam esta casa em destaque.

4 – Casa Stark
Mais a norte, os Starks e as suas alianças controlam mais terra do que ninguém. Ainda assim, isto não se traduz numa vantagem tão grande como se poderia pensar – principalmente porque as terras são pouco povoadas e representam dificuldades para travessia.

Apesar de todas as desgraças da família, há recursos naturais generosos, como ferro, madeira e prata em Winterfell. Peca pela dificuldade em desenvolver a região, já que o facto de o inverno estar a chegar dificulta os trabalhos. Os Starks mantém a sua posição ao longo do tempo, apesar de um exército algo extenuado.

5 – Casa Greyjoy
Os Greyjoy conseguiram recuperar parte da sua influência, passado do sétimo lugar no início da série para a quinta posição.

As principais riquezas desta família são os navios – apesar de a falta de florestas disponíveis para a construção de mais embarcações dificultarem os trabalhos. E, segundo apontam os especialistas, os barcos são muito valiosos nesta visão.

6 – Casa Martell
Mais uma casa que mantém o seu estatuto ao longo das temporadas. Situada na região arenosa de Dorne, tem como dificuldades a população e terra arável limitada. Mas há um ponto positivo: as exportações, principalmente de vinho e uvas.e

A Casa Martell tem também a seu favor os navios e força de combate – embora não seja completamente possível avaliar o total de homens que compõem este exército. Apesar de muitos dos nomes desta casa terem morrido ao longo do desenvolvimento da trama, Oberyn Martell referia que tinha oito filhas – ou seja, eventualmente esta casa poderá ter assegurado a continuidade.

7 – Casa Tully
Supostamente, esta devia ser uma das casas mais abastadas, devido às suas terras férteis e localização central. Mas esta localização funciona como uma faca de dois gumes – ser central também representa problemas na hora da guerra. Sempre que o seu território serve como campo de batalha, isso reflete-se nas capacidades de produção.

A juntar a isto, ainda presta vassalagem a Walder Frey – se não se lembra desta personagem, aqui fica um lembrete: é o principal responsável pelo Red Wedding, o sangrento casamento.

Neste momento, o principal sobrevivente da família é Edmure Tully, que se tornou prisioneiro de Frey. Esta família começava a trama em quinto lugar.

8 – Casa Baratheon
No início da série, Robert Baratheon começava sentado no Trono de Ferro, como rei dos Sete Reinos. A família começa e acaba no mesmo posto do ranking – o penúltimo. Esta casa tinha mais de seis milhões de dragões de ouro em dívidas – metade deste valor só para a casa Lannister.

No final da sétima temporada, pouco resta desta família: Robert, Stannis e Renly morreram ao longo das temporadas. Só Gendry, filho ilegítimo de Robert, continua vivo.

9 – Casa Tyrell
Há sérias dúvidas sobre a sobrevivência desta casa. Apesar de só surgir umas temporadas depois, a família Tyrell foi perdendo membros pelo caminho. É a casa que mais perde – em número de sobreviventes e posses, passando do segundo lugar do ranking para o último.

A casa Tyrell tem como principais recursos terra fértil – ou não fosse o seu brasão uma rosa – e uma larga população. Além disso, tem também exércitos.

Os membros mais jovens da família, Margaery e Loras, morreram às mãos dos Lannister. Também a matriarca, Lady Olenna, não sobreviveu aos jogos de poder, ainda que tenha escolhido a sua própria via.

A oitava temporada de Game of Thrones estreou durante a madrugada desta segunda-feira, estando disponível através da HBO Portugal (streaming) e do canal Syfy.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

REUTERS/Stephen Lam/File Photo

Moedas como Libra do Facebook podem diminuir poder dos bancos centrais

Outros conteúdos GMG
Game of Thrones. Qual é a casa mais rica de Westeros?