Restaurante

Restaurante japonês põe os clientes a pescar o que vão comer

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Veja as imagens. Uma das regras de ouro da boa alimentação é “da quinta para a mesa”, assegurando que os produtos são frescos e que se conhece a sua origem. E então porque não do rio para o prato? Foi exatamente isso que pensou um restaurante japonês, que convida os clientes a pescarem o que vão comer.

O Zauo, assim se chama o restaurante, para já só existe no Japão, em 13 locais. Mas a grande aposta para o próximo ano é abrir em Nova Iorque, nos Estados Unidos, com o mesmo conceito: pôr os clientes a pescar o que vão comer.

Uma refeição no Zauo é uma diversão. Assim que se entra no restaurante, vê-se de imediato a zona das refeições, em forma de barco, e um enorme tanque, onde coabitam pelo menos dez tipos de peixe.

Uma vez instalados, começa a diversão. O restaurante fornece canas e redes, para que os clientes pesquem tal como se estivessem num rio, e não pagam mais por isso, só pagam o isco, que é muito barato.

Assim que apanhar o peixe – e pode sempre pedir ajuda aos funcionários -, os chefs preparam a refeição a gosto: cru, frito, ou grelhado; sashimi ou sushi.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify, Taxify e Chaffeur Privé. Manifestação de Lisboa.
Táxis junto à rotunda do Marquês de Pombal 
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Plataformas de transportes ganham pouco com concentração dos taxistas

Revolução nas transferências de dinheiro já chegou a Portugal

Mário Pereira (administrador) e Inês Drummond Borge (diretora de marketing) da Worten

Fotografia: D.R.

Worten tem um marketplace. Vai começar a vender sofás e colchões

Outros conteúdos GMG
Restaurante japonês põe os clientes a pescar o que vão comer