vinhos

ViniPortugal com nova sala de provas no Porto

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Nova sala de visitas dos vinhos de Portugal na Rua das Flores espera receber 30 mil pessoas até ao final do ano

O número 8 da Rua da Flores é a nova ‘casa’ da ViniPortugal no Porto, que esta tarde aí inaugurou a sua nova sala de provas onde pretende dar resposta ao crescimento da procura turística da cidade. A meta é a de receber 30 mil visitantes até ao final do ano, seis vezes mais do que os registados em 2018.

“Inauguramos a sala de provas Vinhos de Portugal no Palácio da Bolsa em 2007, mas, com a experiência adquirida e com a alteração radical do turismo na cidade, aquele espaço já não servia os nossos objetivos. Precisávamos de um local maior, com um conceito mais moderno, com acesso direto à rua e uma localização de excelência”, explicou ao Dinheiro Vivo o presidente da ViniPortugal.

Em funcionamento já desde 21 de dezembro, o espaço, alugado à Santa Casa da Misericórdia do Porto, representa um investimento de 180 mil euros e há mais de 250 vinhos para experimentar, em provas livres, com valores que variam entre 1 e 2,5 euros o copo, ou provas temáticas, com acompanhamento especializado, e cujo preço vai dos nove aos 18 euros por pessoa. E os vinhos podem ser adquiridos na hora para levar.

Dois meses de experiência que permitiram já validar a decisão de substituir o Palácio da Bolsa pela Rua das Flores. “Janeiro foi melhor do que qualquer mês de 2018”, admite Jorge Monteiro. Foram apenas 360 provas, mas mostram o potencial de um espaço na zona nobre da rota do turismo no Porto. Todas as regiões vitivinícolas portuguesas estão representadas, sendo que a intenção foi a de procurar cobrir diferentes gamas de preço, mas sem baixar a fasquia dos cinco euros por garrafa. “O vinho em Portugal já é barato, esta é uma oportunidade para promover os melhores”, destaca o presidente da ViniPortugal.

A funcionar de segunda a sábado, das 11 às 19 horas, a visita à sala de provas não carece de marcação prévia. Pelo contrário, está preparada para receber o turista ou o portuense que, ao passar, resolva entrar para experimentar. Paga quatro euros e recebe um cartão recarregável com três euros de saldo. À saída, ao devolver o cartão, recebe um euro de volta. O cliente escolhe o que quer provar e pode, ou não, pedir a ajuda de uma assistente. Um copo de Grainha Reserva 2017 ou de Dory Reserva 2013 custa dois euros, os licorosos, como o Porto ou o Moscatel de Setúbal, variam entre dois e 2,5 euros.

Há, ainda, uma sala de provas para grupos, preparada para receber desde 2 a 10 pessoas para provas temáticas, orientadas por assistentes, em que é feita a apresentação dos vinhos e das regiões, bem como do modo como o clima e a urografia têm influência nos vinhos. Vinhos de Portugal, Tawnies versus Colheitas ou 100 Anos de Tawnies são algumas das opções disponíveis, com preços que variam dos 9 aos 18 euros.

Além disso, às sextas e sábados, há provas com enólogos e produtores de vinho de renome e cujo calendário pode ser consultado no site da ViniPortugal ou na página do Facebook das Salas de Provas Vinhos de Portugal. A 1 de março será possível conhecer os vinhos da Lusovini, a 8 de março a proposta é para provar os vinhos das caves transmontanas. O preço é de sete euros por pessoa e nestas sim a inscrição é obrigatória.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
ViniPortugal com nova sala de provas no Porto