Felicidade

Ganhar o Euromilhões não traz felicidade, garante professor de Harvard

felicidade estudo

É a eterna questão: O que nos faz felizes na vida? Especialista de Harvard tem provas que o dinheiro não traz felicidade.

Existem várias respostas para a questão, de onde vem a felicidade. Esse é mesmo um dos conceitos mais debatidos pela humanidade desde sempre. Na era do capitalismo diz-se muitas vezes que o dinheiro é peça importante na felicidade ou pelo menos, tal como diz o ditado “o dinheiro não traz felicidade, mas que ajuda, ajuda”.

O professor de medicina na Harvard Medical School, Dr. Sanjiv Chopra tem uma opinião diferente sustentada num estudo académico. “Ganhar 20 milhões de dólares na lotaria não o vai deixar mais feliz. A pesquisa que fizemos mostrou que, depois de um ano, os vencedores voltam à linha de partida. Alguns são mesmo ainda menos felizes do que eram antes de ganhar esses milhões”, explicou o professor numa conferência TED já este ano.

“Alguns, provavelmente, gastaram o dinheiro numa grande mansão ou num carro caro. Outros gastaram muito do dinheiro em apostas. Mas mesmo assim, no final de três meses, é apenas uma casa, é apenas um bom carro. O vencedor vai habituar-se e ficar acostumado à nova realidade”, diz Chopra, que escreveu vários livros sobre felicidade.

O especialista chama a isso o fenómeno da adaptação, que é um conceito que se refere à tendência geral das pessoas de voltar a um nível definido de felicidade, apesar dos altos e baixos da vida.

Chopra defende que existem quatro temas que estão cientificamente provados que têm ligação direta à felicidade:

1. Amigos e família
Desenvolver um vínculo estreito com pessoas em quem confiamos é essencial para o nosso bem-estar geral. “Escolha os seus amigos com sabedoria e celebre tudo de pequeno e bom com eles”, diz Chopra. Investigadores também alertam que “a solidão e o isolamento social podem ser tão prejudiciais à saúde quanto fumar 15 cigarros por dia”, enquanto as amizades podem “reduzir o risco de mortalidade ou desenvolver certas doenças e acelerar a recuperação daqueles que adoecerem”.

2. Perdão
“A capacidade de perdoar liberta-o das cargas de ódio e outras emoções prejudiciais que podem impactar negativamente o seu quociente de felicidade”, diz Chopra, citando Nelson Mandela como um herói que dominou a arte do perdão.
Estudos indicam que também que perdoar pode reduzir o risco de ataque cardíaco, melhorar os níveis de colesterol e reduzir a pressão arterial, ansiedade, depressão e stresse.

3. Dar
Chopra diz que, se se envolver com instituições de caridade e doar dinheiro ou o seu tempo para ajudar os outros, está a enveredar por uma das formas mais gratificantes que existem. Os investigadores citados pelo especialista até sugerem que as pessoas que se voluntariam têm mais felicidade, maior auto-estima e uma taxa de mortalidade ainda menor. Um estudo da Universidade de Chicago e da Northwestern University descobriu que dar, em vez de receber, leva à felicidade a longo prazo.

4. Gratidão
“Há uma citação anónima maravilhosa que diz: ‘Se não conhece a linguagem da gratidão, nunca poderá falar felicidade'”, diz Chopra na sua conferência TED.
Um estudo da American Psychological Association descobriu que esse agradecimento pode ajudar as pessoas a saborear experiências positivas, lidar com circunstâncias stressantes e fortalecer relacionamentos. “Ter tempo para pensar sobre o que você é grato pode fazê-lo mais consciente das coisas positivas na sua vida”, diz Chopra.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

Marcelo pede mais crescimento. “Este que temos não chega”

Outros conteúdos GMG
Ganhar o Euromilhões não traz felicidade, garante professor de Harvard