HBO Portugal

Rival da Netflix chama-se HBO Portugal e estreia Guerra dos Tronos a 15 de abril

HBO Portugal

A HBO já chegou a Portugal e, no evento de apresentação, o seu CEO admitiu que quer produzir conteúdos portugueses.

15 de abril. 2h da manhã em Portugal. É esta a data de estreia oficial mundial de Guerra dos Tronos e, sabe-se agora, será emitida ao mesmo tempo do que nos EUA no novo serviço de streaming HBO Portugal. Numa conferência de imprensa com os atores Stephen Dorff e Rodrigo Santoro e com os CEO da HBO Europa (Herve Payan) e da Vodafone Portugal (Mário Vaz), a estrela da apresentação do lançamento do serviço de streaming da HBO Portugal, foi mesmo a mítica série de dragões.

Guerra dos Tronos é uma série produzida pela HBO, mas que em Portugal tem sido transmitida em exclusivo pelos canais SyFy, que vão continuar a emitir a série mas com o habitual dia de atraso para os EUA. No lançamento oficial, ficámos a saber que a estratégia de emitir ao mesmo tempo em Portugal (e nos outros países onde o serviço está) séries e documentários estreados nos EUA vai ser a prática corrente para a HBO. “Nesta era de imediatez esta é a única forma de evitar a pirataria”, garantiu na conferência Herve Payan. Ou seja, seguem a mesma linha da Netflix, que sempre que estreia uma nova série sua o faz pelos 190 países onde está presente.

Sobre o grande rival Netflix houve poucas palavras. Embora Payan garante que “o facto de haver concorrência como a Netflix dá força ao uso de streaming”, foi isso a que assistiram nos mercados no norte da Europa, onde já estão, e também em Espanha. Para crescerem, contam com a ajuda dos jovens, “que são um público mais favorável a aderir ao streaming e depois vêm as pessoas mais velhas, que não querem ficar para trás”. Outra característica distinta para a Netflix é a tendência da HBO em ter poucos conteúdos com o chamado binge watching, em que todos os episódios ficam disponíveis de imediato. “Em boa parte das nossas séries isso não faz sentido, porque é bom ter uma semana de espaçamento onde damos mais importância a cada episódio”, disse Payan.

E porquê Portugal?

O CEO da HBO Europa garante que “não há mercados pequenos” e fizeram as análises de mercado necessárias para perceber “que Portugal tem grande potencial na área de streaming”. “Estamos felizes por chegar a Portugal, vimos um padrão no Norte da Europa que acreditamos que será igual em Portugal: depois de lançarmos o serviço houve uma explosão de subscritores de streaming – tem já uma taxa de penetração de 60% na população”, explica Herve Payan.

O preço de 4,99 euros por mês (o primeiro mês de utilização é gratuito) é mais baixo do que nos EUA, indica Herve Payan. “Na HBO acreditamos, ao contrário de outros, que os preços devem refletir a realidade de cada país e este pareceu-nos o mais adequado para Portugal”, explicou o CEO da HBO Europe, numa pequena estocada à Netflix, cujo preço base é de 7,99 euros, o que só permite ver em simultâneo num dispositivo. Para ter conteúdos HD e poder ver em dois dispositivos em simultâneo sobe para os 10,99 euros. O que a HBO Portugal oferece com o seu preço base, permite que os subscritores registem 5 dispositivos diferentes associados à sua assinatura, e assistam até duas transmissões em simultâneo.

A oferta com um preço mais baixo também está relacionada com o menor número de conteúdos originais – algo em que a Netflix se tem distinguido – e porque a HBO Portugal também tem uma plataforma que ainda está numa fase menos madura do que a do rival. No entanto, a HBO Portugal indica ter na sua plataforma mais de 4.500 conteúdos, incluindo todas as temporadas das séries originais HBO mais populares e aclamadas pela crítica como A Guerra dos Tronos, True Detective, Westworld e Big Little Lies, além de clássicos como O Sexo e a Cidade, Os Sopranos, The Wire e Girls. Além disso, o serviço oferece uma ampla variedade de filmes, documentários e uma secção especial com conteúdos para crianças e famílias.

Vodafone deixa o mercado decidir

A Vodafone Portugal acaba por ser um parceiro estratégico nesta entrada no país, já que há um contrato de exclusividade para que a HBO Portugal esteja disponível através da box de televisão da operadora portuguesa. Aconteceu o mesmo com a Netflix, nos seus primeiros tempos. A vantagem do serviço estar disponível na box “é que funciona para o típico utilizador de televisão tal como se tivesse num outro canal”, explica Mário Vaz, aqui com a vantagem de poder escolher os conteúdos que deseja ver. O CEO da Vodafone explicou ao Dinheiro Vivo que embora o contrato tenha mais do que dois anos (não revela o período em concreto), pode ser alterado consoante a aceitação do público. “O mercado português tem apetência para o streaming, por novidades, e temos tido crescimento do serviço de Netflix em Portugal”, disse-nos Mário Vaz, que não pode revelar números em concretos mas sabe que a percentagem dos utilizadores de streaming já ultrapassou os dois dígitos a nível nacional.

Produção nacional é promessa

Outra promessa que ficou feita foi a produção de conteúdos portugueses para a HBO. “Pode demorar algum tempo, mas para onde vamos, produzimos e licenciamos conteúdos”. O que o responsável não garante é que usem uma produtora portuguesa, dando o exemplo da Noruega, onde têm séries feitas por produtoras dinamarquesas, embora usem sempre talento e guionistas do país em causa. O exemplo mais próximo é Espanha, onde uma série que começou a ser pensada há dois anos, só agora vai estrear na plataforma. Em Espanha também produziram um documentário polémico sobre o antigo presidente do Atlético de Madrid, “que choca qualquer um”.

4K terá de esperar

O serviço da HBO Portugal é lançado em todas as plataformas, embora ainda estejam a terminar aplicações para os sistema iOS (da Apple) e para as Smart TV da Samsung. Payan explica que “Roma não se fez num dia”, por isso vão “precisar de tempo para ter tudo perfeito”. Nesse contexto, ainda não têm disponível a qualidade por 4K, embora a ideia é que fique disponível nos próximos tempos quando dominarem o chamado HDR. Herve Payan também indica que nem sempre é possível garantir a qualidade máxima do serviço, porque “depende do serviço de internet do utilizador”, além disso “há uma tendência para os utilizadores verem à mesma hora”, que Herve não consegue explicar. No entanto, o CEO da Vodafone interviu para dizer que a Vodafone Portugal usa fibra e os utilizadores portugueses “não correm esses riscos”.

Plataforma e os algoritmos

Embora não entrasse em pormenores, Herve Payan explicou-nos que a plataforma da HBO Portugal usa de forma diferente a tecnologia e os algoritmos da Netflix. “Se alguém vir conteúdos de ficção científica, não vamos passar a só sugerir esse tipo de conteúdos”, explicou. Existem perfis mais amplos, não personalizados, onde há algoritmos a seguir os padrões de uso e a sugerir conteúdos: “mas não modificamos a plataforma com isso, só fazemos alguma segmentação por grupos de pessoas”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

João Cadete de Matos, presidente da Anacom

Fotografia: Vítor Gordo/D.R.

Anacom “considera essencial” redução de preços no acesso à Internet

Outros conteúdos GMG
Rival da Netflix chama-se HBO Portugal e estreia Guerra dos Tronos a 15 de abril