IFA

Inteligência artificial aliada à voz ‘invade’ feira IFA em Berlim

20180830_111836

Colunas inteligentes e sistemas de som para ouvir e ser ouvido, TVs 8K da LG à Samsung passando pela casa inteligente. As tendências da feira IFA.

O som e a capacidade de ouvir e ser ouvido (através da voz) volta a ter uma relevância que não se via há muitos anos. Foi isso que vimos na IFA, a feira de tecnologia de Berlim que é uma das mais importantes e antigas (começou em 1924) a nível mundial.

Isso significa que além de muitos produtos para a casa inteligente, viram-se colunas a ‘brotar’ um pouco por todo o lado. Da Yamaha (ligou gira-discos para vinil a colunas inteligentes, por exemplo), à Bang & Olufssen, da Anker à Huawei, LG, Sony, Panasonic, Samsung, entre outras. E quase todas têm incluído como ‘cérebro’ de inteligência artificial o assistente digital da Amazon (e respetiva voz), Alexa, ou o da Google, Google Assistant – ambos ainda não disponíveis em português.

Em alguns casos há produtos com ambos os sistemas, à escolha do freguês. Todos querem um pedaço deste início da revolução. Como são sistemas abertos, todos podem desenvolver um produto próprio que tem inserido o sistema destes líderes na área das assistentes digitais. Ninguém quer ficar de fora – como aconteceu com a Nokia com os smartphones ou várias marcas de relógios com os smartwatches (o Apple Watch é hoje o relógio mais vendido no mundo.

Estes aparelhos conectados à internet e a outros aparelhos e inteligentes com capacidade de aprender connosco, têm microfones e colunas para poderem comunicar pela voz. Um desses exemplos foram os aparelhos lançados pela LG que mostram outra das tendências da feira relacionadas com a casa inteligente e replicada por várias marcas. Vimos desde um purificador de ar que nos dá conversa, a uma adega inteligente (tudo ligado em rede e com acesso de forma remota por uma appno telemóvel). “Porquê inteligência artificial? Porque vai tornar a nossa vida melhor, mais fácil e com mais tempo para o que importa”, disse o CTO da LG, Dr. I.P. Park, que abriu as palestras da IFA.

Outra das novidades nesta área foi o lançamento oficial pela Huawei da sua coluna inteligente e com router 4G (outra das novas tendências), o AI Cube. Usa a Alexa, não é bem um cubo e até parece a Google Home (a coluna vendida pela Google), mas ainda não tem data para chegar a Portugal. A marca chinesa também anunciou que já vendeu 10 milhões de smartphones da sua série P20 em apenas cinco meses, mais 80% do que aconteceu o ano passado (é agora a segunda marca que mais vende no mundo).

Também ouvimos o vice-presidente da Amazon com o pelouro da Alexa, Daniel Rausch, anunciar na IFA um número surpreendente: em dezembro de 2017 existiam 4 mil aparelhos compatíveis com a Alexa (que tinha, na altura, três anos de vida), agora já existem 20 mil. Só na feira foram lançados 50 novos aparelhos com a voz e ´cérebro’ da Alexa, que chegou às 50 mil funções que desempenha. A Google não divulgou esses dados, mas existiam na IFA 48 marcas diferentes com produtos que incluíam a Google Assistant (e demonstrações disso mesmo por toda a feira).

Além de alguns robôs peculiares e de exemplos de mobilidade elétrica e inteligente (a Segway surpreendeu com novos modelos), os televisores com resolução 8K estiveram em destaque. Com 33 milhões de pixéis e ecrãs que chegam às 87 polegadas esta tecnologia promete espantar quem aprecia experienciar conteúdos com a melhor qualidade. Samsung, LG, TCL e Sharp anunciaram linhas de televisores 8K e que vão chegar ao mercado nos próximos meses. “Estamos a ver uma maior procura por televisores com ecrãs grandes. E com os ecrãs enormes, a resolução torna-se cada vez mais importante”, disse Nathan Sheffield, diretor europeu de produto da Samsung em entrevista à Insider sobre a nova tendência: “O 8K eleva e muito a experiência”.

Ainda que os tempos ditem novas tendências na tecnologia de consumo, a IFA continua a ser a casa de apresentação de gadgets de categorias ‘tradicionais’, como os portáteis. E aí brilhou a Lenovo que mostrou o seu Yoga Book C930 que usa um ecrã de tinta eletrónica (e-ink) como teclado. A Asus mostrou a linha Zenbook com trackpads com novas funcionalidades (incluindo um segundo ecrã).

Mais artigos sobre tecnologia em Insider.dn.pt.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Theresa May, PM britânica, cumprimenta Mark Rutte, PM holandês. Fotografia: REUTERS/Piroschka van de Wouw

Mais de 250 empresas do Reino Unido contactam Holanda por causa do Brexit

REUTERS/Yves Herman

Comissão Europeia: vistos gold falham na verificação de origem de fundos

4. Peças automóveis

É recorde: Peças para carros valem mais de 11 mil milhões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Inteligência artificial aliada à voz ‘invade’ feira IFA em Berlim