RGPD

Jornais americanos preferem bloquear europeus do que cumprir RGPD

Cerca de 500 milhões de utilizadores europeus vão ficar sem acesso aos média americanos devido ao novo regulamento.

Se for ao site no LA Times, Chicago Tribune ou New York Daily News, pode ficar surpreendido por não conseguir ver os conteúdos. Uma mensagem alerta os utilizadores europeus que, para não terem gastos com a implementação do novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), alguns média norte-americanos estão a bloquear os acessos feitos pela Europa.

Os cerca de 500 milhões de europeus ficam assim afetados de forma negativa pela mudança que tem ganhos na privacidade. Além dos jornais, o serviço popular Instapaper também está temporariamente indisponível na Europa enquanto fazer as mudanças para cumprir o RGPD.

A distribuidora de conteúdos A&E Television Networks também bloqueou para a Europa o acesso aos sites do canais História e Lifetime. Ao passarmos pelo site history.com a mensagem que aparece é “Este conteúdo não está disponíveis na sua zona”.

Acesso ao site do canal History.com está neste momento bloqueado.

Sites como o Washington Post, New York Times, ou a revista Time pedem aos utilizadores europeus para aprovarem as suas condições para terem acesso ao site.

A mulher que comanda o regulamento europeu do RGPD, Andrea Jelinek, falou recentemente no tema: “se há razões para dar avisos, nós daremos avisos, se há razões para dar uma reprimenda, assim o faremos, e se houver motivos para multar, vamos mesmo multar”.

Em declarações à Bloomberg, a analista da GlobalData, Sofie Willmott, indica que os “negócios terão de estar preparados para perder uma boa parte da sua base de dados de clientes, quando os subscritores ignorarem as suas comunicações para manterem ativa a receção de mensagens de marketing”.

Será também uma boa oportunidade para passar a receber menos mensagens indesejadas, se o RGPD for bem aplicado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

REUTERS/Stephen Lam/File Photo

Moedas como Libra do Facebook podem diminuir poder dos bancos centrais

Outros conteúdos GMG
Jornais americanos preferem bloquear europeus do que cumprir RGPD