cinema

Maio é mesmo mês de Star Wars. Saiba porquê!

EPA/ANDREW GOMBERT
EPA/ANDREW GOMBERT

A história do 4 de maio ser o Dia Star Wars está relacionada com Margaret Thatcher. Mas maio é um mês onde a Força tem sido forte por outros motivos.

O que é o Dia Star Wars? O dia 4 de maio foi o escolhido pelos fãs para celebrar os filmes de Star Wars. A data brinca com uma das frases mais usadas da saga, “May the Force Be With You” – neste caso, na língua inglesa, combina com “May the Fourth Be With You” (que o 4º dia esteja contigo). A expressão foi usada pela primeira vez num anúncio de jornal a 4 de maio de 1979, para celebrar o primeiro dia em funções da primeira-ministra britânica Margaret Thatcher (por parte do seu partido), numa referência ao filme – na altura só havia um, a sequela só chegaria em 1980.

A expressão foi repetida nos anos 1990 no parlamento inglês e usada num livro chamado A Ciência de Star Wars, de Jeanne Cavelos, em 1999. Mas só em 2008 apareceu os primeiros indícios de celebração do dia, graças a um grupo de Facebook dedicado ao tema.

Foi em 2011 que se verificou o primeiro evento digno desse nome, organizado em Toronto, que incluía concursos de máscaras de Star Wars, maratonas dos filmes, paródias, filmes tributos, etc. A Lucasfilm nunca se juntou por completo às celebrações, que eram esporádicas, pelo menos até a Disney ter comprado a empresa em 2012.

Na verdade, o mês de maio tem tudo a ver com a saga de Star Wars. O primeiro filme da saga – numa altura em que não se sonhava que pudesse ser um franchise com milhões de fãs de várias gerações, capaz de gerar mais centenas de milhões de euros em receitas – foi lançado a 25 de maio de 1977 (só estreou em Portugal e na Europa em dezembro desse ano). Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança é o nome oficial do primeiro filme, pelo menos agora, na altura foi lançado apenas como Star Wars.

A mensagem de 1979 que originou a expressão May The Fourth Be With You.

A 20th Century Fox lançou-o no final de maio porque achou que o filme não ia resistir aos blockbusters de verão. Estreou em apenas 32 salas nos Estados Unidos. As previsões era para que falhasse na bilheteira, ao ponto de George Lucas ter apostado com o seu amigo Steven Spielberg que o seu Encontros Imediatos de Terceiro Grau iria ser mais bem sucedido do que Star Wars. Spielberg ganhou a aposta e, em virtude disso, ainda recebe 2,5% das receitas a que Lucas tem direito dos filmes – pode ler aqui (na fotogaleria) como Lucas conseguiu os direitos completos do merchandising do filme.

A sequela, já com um orçamento bem diferente do primeiro filme (o Império Contra-Ataca), também foi lançado no final de maio, dia 21, em 1980, nos Estados Unidos, mantendo-se a tradição de maio. O mesmo aconteceu com o fecho da primeira trilogia, O Regresso de Jedi, lançado a 25 de maio de 1983.

A tradição manteve-se quando George Lucas decidiu reativar a saga em 1999, com nova trilogia, agora para contar os acontecimentos antes da saga original – numa prequela que não encheu as medidas à crítica. Tanto A Ameaça Fantasma (19 maio de 1999), O Ataque dos Clones (16 de maio de 2002) como A Vingança dos Sith (19 de maio de 2005) estrearam no mesmo mês.

Han Solo devolve Star Wars a maio

A nova trilogia iniciada por J.J. Abrams em 2015, já sob a liderança da Disney, passou a ter o mês de dezembro como a altura da estreia mundial, como se viu com O Despertar da Força. Um dos filmes baseados na história de Star Wars, Rogue One – um spin off – lançado em dezembro de 2016, manteve a aposta da Disney em estrear a nova era de Star Wars no Natal.

A exceção é agora Han Solo: Uma História de Star Wars, o novo filme sobre a história de Han Solo (interpretado pelo jovem Alden Ehrenreich), realizado pelo experiente Ron Howard, estreia agora a 25 de maio e é o 10º filme da saga (sem contar, aqui, com a animação de 2008). Curiosamente, Ron Howard participou como ator no filme American Graffiti de 1973 (realizado por George Lucas), ao lado de Harrison Ford. Agora realiza o filme que explica a história da personagem que devolveu Ford à profissão de ator. Após ter feito American Graffiti, Ford deixou o cinema e dedicou-se à carpintaria e foi num trabalho na casa de George Lucas, que o criador de Star Wars viu nele Han Solo e o cativou para voltar à profissão.

O fecho da terceira trilogia de Star Wars está marcado para dezembro de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-diretor das Grandes Empresas da Caixa Geral de Depósitos, José Pedro Cabral dos Santos na II comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. MÁRIO CRUZ

Cabral dos Santos apresenta carta a desmentir Berardo sobre créditos na CGD

Outros conteúdos GMG
Maio é mesmo mês de Star Wars. Saiba porquê!