luxo

Maior iate do mundo desapareceu sem deixar rasto

worlds-largest-super-yacht-1024x510

Tem 180 metros e é o maior do mundo e pertença do xeque Khalifa Bin Zayed Al Nahyan. De acordo com o Expresso, está desaparecido.

Chama-se Azzam, o seu nome vem do termo árabe que significa determinação, é um iate privado construído pela alemã Lürssen Yachts e é considerado o maior iate do mundo. Depois de quatro anos dedicados à construção, o Azzam foi lançado ao mar a 5 de abril de 2013. Os seus 180 metros (590 pés) de comprimento, tornaram-no no maior iate particular do mundo.

No entanto, o navio elegante e luxuoso está desaparecido, sem deixar vestígios da sua existência, indica o Expresso. As razões podem estar relacionadas com o sigilo. Certo é que o estaleiro Lürssen Yachts não divulga informações sobre a construção de vários dos seus navios, até porque tem clientes bem ricos que exigem esse mesmo segredo para as suas encomendas.

O proprietário do Azzam é o xeque Khalifa Bin Zayed Al Nahyan, que é também o presidente dos Emirados Árabes Unidos (EAU) e o emir (príncipe) de Abu Dhabi. O xeque vale 15 mil milhões de dólares.

worlds-largest-super-yacht

História do desaparecimento

Desde 2015, quando zarpou para o seu destino final, Abu Dhabi, já com tripulação, ficou no terminal de contentores no Porto de Khalifa. Desde que lá chegou foi sempre possível seguir o iate através do “Marine Traffic”, um site que mostra em tempo real as posições de todas as embarcações a partir do número identificativo de navios (IMO). Até meados de 2017, diz o Expresso, o Azzam, com o número IMO 9693367, manteve-se visível mas deixou de emitir sinal por essa altura.

Em novembro de 2018 foi detetado novamente, em Trieste, Itália, onde terá feito trabalhos de manutenção nos estaleiros da Fincantieri. Mas deixou de emitir sinal e até hoje não se sabe o seu paradeiro, algo que pode estar relacionado com o desejo de secretismo e privacidade do seu dono.

Sobre o iate em si, permite levar 36 convidados em 18 cabines luxuosas e a tripulação de 60 pessoas divide-se em 30 cabines. O seu valor é de 400 milhões de dólares. O iate mais longo do mundo tem seis andares e consegue ainda atingir uma velocidade máxima de 30 nós, graças aos dois motores diesel e duas turbinas, que perfazem um total de 94 mil cavalos de potências.

O design do exterior foi feito pela Nauta Yachts e o interior é assinado pelo designer francês Christophe Leoni, que se inspirou no estilo luxuoso do tempo dos impérios. O salão principal tem 29 metros de comprimento por 18 metros de largura, sendo decorado num estilo imperial.

Um dos rivais do iate em termos de tamanho é o novo iate Dilbar, que pertence ao bilionário russo Alisher Usmanov e tem um volume interior maior do que o Azzam, mas ‘só’ tem 157 metros – também foi feito pela Lürssen e custou 600 milhões de dólares.

Outra particularidade é, dizem os rumores, ter uma suite principal à prova de bala e um sistema de defesa anti-missíl incorporado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

Outros conteúdos GMG
Maior iate do mundo desapareceu sem deixar rasto