Tecnologia

O que devo ter em conta na hora de comprar um smartphone?

Smartphones Android, comprar smartphone
Foto: REUTERS/Lucas Jackson

Há muitos preços, modelos e funcionalidades diferentes no mercado. Se se prepara para comprar um smartphone, tenha em conta alguns destes pontos.

O mercado dos smartphones está em constante expansão – tanto de modelos como de preços. Uma vez que o smartphone é o dispositivo com o qual provavelmente mais interage ao longo do dia, há que ter alguns pontos em conta na hora de escolher um novo telefone. Fazer uma lista daquilo que é mais importante ajuda, tal como fazer uma pesquisa à séria vale mais do que uma compra por impulso.

Android vs iOS

Em primeiro lugar, há que ponderar qual o sistema operativo com que está mais à vontade. O mercado atual divide-se maioritariamente em duas opções: Android ou iOS.

Do lado do sistema operativo da Google, a palavra-chave costuma ser personalização, já que pode configurar uma grande quantidade de parâmetros. Além disso, tem ainda a vantagem de ter um número mais alargado de modelos e marcas à escolha – o que consequentemente garante uma maior variedade de intervalos de preço.

Se prefere o iOS, mais conhecido pela simplicidade e atualizações de sistema regulares, só poderá escolher entre os modelos iPhone. Com menos opções de escolha, também estará mais limitado no que a preços diz respeito.

Pondere quanto quer gastar

Antes de mais, sente-se e pense que características valoriza mais num smartphone e que tipo de uso faz no dia-a-dia. Se recorre muito ao telefone para jogar, por exemplo, convém apostar num terminal com uma performance de topo. Se, por outro lado, faz um uso mais “tradicional”, com chamadas, navegação pelas apps sociais e apenas a consulta de emails de uma forma pontual, pode sempre considerar um telefone com características mais modestas.

Como está claro, se tiver um orçamento mais alto, precisará de fazer menos concessões no que às funcionalidades diz que respeito e pode conseguir um telefone com as últimas novidades do mercado. Mas um orçamento mais limitado não é sinónimo de más notícias.

Com a chegada ao mercado de mais marcas, já há opções com uma excelente relação de qualidade-preço, é tudo uma questão de perceber aquilo que se adapta mais às suas necessidades. Por último, quando falamos de preços, há um ponto a ter em conta: não vale a pena pagar muito por um telefone se não precisa de todas as funcionalidades oferecidas.

Leia também | Quer proteger o seu smartphone? Estas opções prometem ajudar

Atenção ao tamanho

Os ecrãs dos telefones têm vindo a crescer nos últimos anos – mas o mais importante é que encontre um telefone com o tamanho de ecrã certo para si. Um ecrã de dimensões generosas é ideal para quem vê muitos vídeos ou episódios de séries no telefone, por exemplo, ou para quem trabalha no modo de ecrã dividido no Android. Por outro lado, se tem as mãos mais pequenas, um telefone demasiado grande pode não ser o ideal para si ou não se adaptar ao seu dia-a-dia.

Com a redução da espessura das molduras nos telefones, já é possível encontrar áreas úteis de ecrã muito interessantes, sem aumentar demasiado o tamanho do telefone.

Ainda no ecrã, tenha atenção à luminosidade (indicada em nits) – um ecrã com maior luminosidade vai ajudar quando precisar de usar o telefone na rua, por exemplo. Tenha também atenção à resolução do ecrã e à quantidade de cores que é possível ter no ecrã.

Tenha em conta o desempenho da bateria

Ver um smartphone com uma bateria com maior capacidade (mais mAh, miliamperes) não significa necessariamente que esta garanta mais tempo de utilização entre cada carga. Há vários factores que entram em conta no desempenho da bateria, desde o sistema operativo, aplicações em execução, se usa muito funções como GPS, dados móveis, quanto tempo passa a ver vídeos, etc, etc.

Ainda assim, na pesquisa que fizer, veja as características ligadas à bateria – capacidade, se tem carregamento rápido ou se já inclui carregamento sem fios. Também há tabelas que pode consultar online, que já apresentam resultados dos testes feitos. No caso destes testes de bateria do site GSMArena, além dos resultados, até pode indicar o uso que faz do telefone, para comparar resultados.

Leia também | 10 dicas para poupar a bateria do smartphone

A tão ambicionada câmara

Costuma ser uma das características mais importantes para muitos utilizadores. As câmaras multiplicaram-se nos telefones e há opções para quase todos os gostos – e carteiras. Tenha atenção às características técnicas – e aqui não vale regular-se só pela quantidade de megapixeis. Ter um maior número de MP não significa necessariamente que a câmara será melhor. Atente também em características como a câmara dupla ou tripla, abertura (números menores costumam ser uma boa ajuda) e também por estabilizadores de imagem.

Se não é um especialista na matéria mas a câmara é o mais importante para si num telefone, a Internet dá uma ajuda. Sites como o DxOMark fazem rankings dos telefones com melhores câmaras e até ajudam a classificá-los entre topo de gama, gama média ou gama baixa.

Leia também | O que fazer quando o smartphone fica demasiado quente

Atenção ao armazenamento interno

Hoje em dia, não é nada recomendável um smartphone com 16GB de armazenamento interno (mais visível nos Android de gama baixa). Porquê? O próprio sistema operativo ocupa uma boa fatia de espaço, tal como as aplicações que pretende instalar. A juntar a isto, ainda entram em jogo os dados gerados pelas aplicações e por aí fora.

Se tem muitas fotografias e vídeos, aposte num telefone com mais espaço. Os 32GB de espaço de armazenamento já são uma medida razoável, mas se puder optar por opções com 64GB a liberdade para instalar jogos e aplicações vai compensar.

Também vale a pena ver se o telefone é compatível com microSD, para poder aumentar o espaço disponível. Atenção que esta opção apenas está disponível em alguns modelos Android.

E RAM e processador?

A memória RAM pode ser vista como um indicador do desempenho do telefone quando é preciso fazer várias tarefas ao mesmo tempo. Já não há assim tantos telefones com 1GB de RAM, é certo, mas hoje em dia não são apostas que valha a pena fazer. Opte por telefones com, no mínimo, 4GB de RAM. No caso de alguns topo de gama, até já é possível encontrar opções de 12GB de RAM, por exemplo.

Relativamente a processador, a explicação mais simples é a de que é este componente que trabalha para que consiga abrir aplicações mais depressa ou editar imagens ou vídeos de uma forma mais rápida. Tenha em conta que o A12 Bionic é, neste momento, o processador topo de gama na Apple (usado no iPhone XR) e que, no Android, o Snapdragon 855, o Exynos 9820 e o HiSilicon Kirin 980 figuram nos primeiros lugares dos testes.

Se tiver estas opções em mente, já será mais fácil perceber em que ponto está o processador do telefone que quer adquirir. Também pode consultar tabelas online para perceber como se comporta o processador que figura no smartphone que está a estudar.

Leia também | 9 melhores smartphones que pode comprar até 300 euros

Faça o trabalho de casa

Se já tem uma lista de tudo aquilo que é importante para si num telefone, informe-se e compare. Vale a pena ler críticas sobre o smartphone que pondera comprar, consultar fóruns de utilizadores ou visualizar preços entre lojas (pode usar opções como o comparador Kuanto Kusta ou a ferramenta da Deco Proteste para perceber se não estará eventualmente a apostar numa falsa promoção).

Se estiver indeciso entre vários modelos, pode sempre usar ferramentas como o comparador do site GSM Arena, onde é possível ver todas as características dos telefones lado a lado e perceber pontos fortes ou mais fracos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Teixeira dos Santos: Sócrates alertou que nomear Vara criaria “ruído mediático”

Outros conteúdos GMG
O que devo ter em conta na hora de comprar um smartphone?