Automóvel

O que é teu é nosso. Saiba como conduzir um carro partilhado em Portugal

Fotografia:  EPA/FILIP SINGER
Fotografia: EPA/FILIP SINGER

Citydrive, com frota própria, e Booking Drive, que permite rentabilizar o próprio veículo, são duas formas diferentes de car sharing no nosso país

O conceito de economia de partilha está a chegar ao mundo automóvel e Portugal não é exceção. No nosso país, é possível encontrar empresas que permitem a qualquer pessoa com carta conduzir mesmo sem ter um carro próprio. A Citydrive, com uma frota própria, e a Booking Drive, que permite rentabilizar o próprio veículo, são duas formas diferentes de aplicar o conceito de car sharing no nosso país.

A fórmula de partilha de carros, no entanto, começou alguns anos antes. No final de 2008, a Carristur, empresa do universo da Carris, lançou o Mob Carsharing, serviço de aluguer de automóveis à hora que permitia aos clientes reservar um veículo através da internet ou do telefone e tê-lo disponível no minuto seguinte.

Para se tornar atrativo, incluía mesmo estacionamento grátis por quatro horas em lugares na via pública da EMEL, que, entretanto, juntou-se ao projeto. Só que apenas houve 350 clientes em mais de sete anos e o serviço foi suspenso em março de 2016 por falta de procura.

Voltando à atualidade, conheça melhor os serviços prestados pela Citydrive e pela Booking Drive:

Como funcionam?

A Citydrive, que começou em 2014, presta atualmente o serviço de partilha de carros em Lisboa. Depois de fazer o registo na internet, o cliente passa a poder fazer a reserva dos veículos, que surgem no mapa da cidade, através de uma aplicação disponível para os softwares iOS (Apple) e Android (Google). Entre outras informações, o cliente sabe qual a percentagem de combustível disponível no automóvel.

Depois de fazer a reserva do veículo, a aplicação guia o cliente até este chegar ao carro, que apenas é aberto depois de ser introduzido um código PIN e de serem reportados eventuais danos existentes com o automóvel. A chave de ignição está localizada atrás da caixa de velocidades. Deverá ser colocada no mesmo local quando devolver o carro.

Com a Booking Drive, o processo é um pouco diferente. Os carros estão sobretudo disponíveis nas zonas de Lisboa, Porto e na ilha da Madeira. Depois de fazer o registo na internet, o cliente pode escolher o carro que pretende alugar. A seguir, o cliente e o proprietário agendam, através do chat, a morada para ir buscar e devolver o carro. O veículo é inspecionado pelos dois e é nessa altura que são entregues as chaves.

Nesta empresa, o proprietário é compensado pelo aluguer do próprio veículo. A Booking Drive diz que “um proprietário que partilhe o seu carro por 30 euros/ dia e que realize 3 partilhas por semana consegue um rendimento anual extra superior a 3500 euros”.

Pagamento

Na Citydrive, a tarifa base, que inclui 20 quilómetros por cada hora, prevê que pague 29 cêntimos por cada minuto de viagem e 10 cêntimos se estiver estacionado (em standby) após os primeiros 15 minutos. Há três zonas de serviço dentro da cidade: verde – pode encerrar viagem sem custos -, amarela – se deixar o carro parado e ninguém o usar após 12 horas tem de pagar mais 10 euros – e azul, em que pode circular mas não pode encerrar a viagem em todo o país.

Para poder usar o serviço da Citydrive, tem de ter saldo positivo na conta, que pode ser carregada através de uma referência de Multibanco que é utilizada em qualquer ATM ou serviço de Homebanking.

Com a Booking Drive, a tarifa é determinada pelo proprietário do veículo. Há preços por hora, dia, três dias e uma semana. Os pagamentos são feitos entre o dono do automóvel e o cliente, utilizando o cartão de crédito. Por cada aluguer é ainda debitada uma caução de 100 euros.

Manutenção e segurança

No caso da Citydrive, “cada carro é submetido a uma manutenção periódica, que é feita pelas entidades gestoras da frota. Diariamente, uma equipa da Citydrive procede à limpeza e verificação das viaturas”, responde a empresa às questões do Dinheiro Vivo. Além disso, está garantida a assistência em viagem 24 horas por dia e 365 dias por ano, conforme pudemos verificar durante a experiência com os carros desta empresa.

Na Booking Drive, a manutenção é assegurada pelos proprietários dos veículos. “A plataforma só aceita viaturas aptas a circular cumprindo os requisitos de segurança rodoviária exigidos pela lei vigente”, diz a empresa. O aluguer dos veículos está segurado pela Fidelidade.

Terceira via (elétrica)

Em Lisboa existe ainda o serviço 24/7 City, da empresa de rent-a-car Hertz, e que permite a partilha de carros elétricos. Há uma dezena de BMW i3 que podem ser alugados à hora ou ao dia. Os preços variam entre 9 e 49 euros e inclui 30 quilómetros por cada hora. Tal como na Citydrive, há três zonas de serviço, só que as zonas verdes estão apenas junto ao Aeroporto Humberto Delgado e na rua Castilho.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Visita de Angela Merkel à Bosch, em Braga. A chanceler alemã foi
acompanhada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Fotografia: Artur Machado/ Global Imagens

O país aguenta uma nova crise? Agências de rating divididas

Lisboa, 19/7/2019 - Eduardo Marques, Presidente da AEPSA- Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente-  uma associação empresarial, criada em 1994, que representa e defende os interesses coletivos das empresas privadas com intervenção no setor do ambiente,
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Eduardo Marques. “Há um grande espaço para aumentar as tarifas da água”

Fotografia: Gleb Garanich/ Reuters.

Greve: Ryanair diz que não houve cancelamento de voos esta manhã

Outros conteúdos GMG
O que é teu é nosso. Saiba como conduzir um carro partilhado em Portugal