Dinheiro Vivo TV

Os Michelin da culinária 4.0 que usam tecnologia para mudar a alta cozinha

A carregar player...

Bacalhau com sabor a maçã não é normal mas é possível. Em Portugal já há restaurantes que querem contratar cientistas para acelerar a inovação. Três chefs estrelados contam como a tecnologia está a revolucionar o mundo da alta cozinha.

Foi com dois leitões na bagagem que Ricardo Costa aterrou há um mês na Coreia do Sul. O chef do The Yeatman foi ao outro lado do mundo mostrar à galáxia Michelin como se faz a iguaria à moda da Bairrada. À moda não: “Igualzinho ao da Bairrada.” O truque custa cerca de dez mil euros e chama-se Rational. É um forno topo de gama e a prova de que a alta cozinha fez fusão com a tecnologia.

“Soube que eles tinham em Seul o mesmo forno que temos no restaurante, por isso é que levei os leitões. Já recebemos no Yeatman um dos melhores assadores da Bairrada, que quase chorou quando provou o nosso leitão. Com este forno consigo que todos saiam exatamente iguais, que é o sonho de qualquer chef”, conta Ricardo Costa à Insider.

Com duas estrelas Michelin no bolso da jaleca, Ricardo Costa conhece o sabor da perfeição. E sabe que tem de servi-lo todos os dias. Sem “os brinquedos” que tem nas duas cozinhas do multipremiado restaurante de Vila Nova de Gaia, admite que não seria possível.

“O bom da tecnologia é que nos permite criar standards, ou seja, fazer a mesma receita todos os dias sem falhas. Nestes restaurantes a responsabilidade é muito grande e tem de haver consistência, tanto na confeção como no empratamento.”

O que traz outra vantagem: liberdade. “Por causa dos avanços tecnológicos sei que posso ausentar-me e não estar preocupado com o resultado porque será sempre igual.”

Leia a reportagem completa em insider.dn.pt

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Os Michelin da culinária 4.0 que usam tecnologia para mudar a alta cozinha