Criptomoedas

Piratas informáticos roubam 27,3 milhões de euros em criptomoedas

Criptomoedas | Bithumb
Foto: REUTERS/Toru Hanai

É o segundo ataque, no espaço de duas semanas, a uma plataforma sul-coreana. Especialista diz que ainda há muito por fazer a nível de segurança.

A plataforma de compra e venda de criptomoedas Bithumb foi alvo de um ataque informático que resultou no roubo 35 mil milhões de wons, o equivalente a 27,3 milhões de euros, em criptomoedas. A plataforma sul-coreana está entre as dez maiores do mundo na transação de criptomoedas, segundo o índice CoinMarketCap.

Depois de identificar o roubo, a Bithumb interrompeu todos os depósitos e levantamentos da plataforma como uma medida preventiva. A empresa também transferiu as criptomoedas para uma chamada ‘carteira fria’ (cold wallet), um método para guardar as divisas digitais sem que seja necessária uma ligação à internet, o que torna mais difícil o roubo através de ataque informático.

Recentemente uma outra plataforma sul-coreana, a Coinrail, também foi alvo de um ataque informático, mas não revelou quais os danos causados. Já no final de janeiro, a plataforma japonesa Coincheck perdeu o equivalente a 432 milhões de euros, em criptomoedas, após um ataque informático.

Vijay Ayyar, diretor de desenvolvimento de negócio da Luno, uma outra plataforma de exchange, diz que este é mais um exemplo de “como as plataformas de compra e venda de grandes mercados continuam a estar mal preparadas”. “O mercado num todo está a ver muitas ações de regulamentação e incidentes como este só vão acelerar o processo”, comentou à Bloomberg.

Como nota a agência de notícias, as principais criptomoedas e tokens do mercado estavam em queda após o anúncio do ataque à Bithumb. À hora de publicação deste artigo cada Bitcoin valia perto de 5.755 euros, o que representa uma desvalorização de 1,5% nas últimas 24 horas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

Negociações para revisão do contrato coletivo de trabalho da construção arrancam em setembro

Salário base da construção pode subir até 194 euros

Outros conteúdos GMG
Piratas informáticos roubam 27,3 milhões de euros em criptomoedas