férias

Quase metade dos portugueses vai usar a totalidade do subsídio com as férias

10. Hidden Beach, Palawan, Philippines

Novo estudo indica que 46% dos portugueses pretendem gastar a totalidade do seu subsídio com as férias de verão

De acordo com os dados apresentados pelo Observador Cetelem, 46% dos inquiridos pretendem gastar a totalidade do seu subsídio para fazer face às despesas desta época, enquanto 10% afirma não utilizá-lo para este fim.

Leia também | Os 5 destinos de férias mais procurados pelos portugueses

O subsídio de férias parece estar novamente a desempenhar a função de financiar o período de descanso e lazer. É o que revela o estudo, realizado em maio, que teve por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os sexos e com idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos de idade.

Os portugueses entre os 25 e os 54 anos que residem na Região Norte são os que mais referem utilizar a totalidade do subsídio de férias.

Constata-se ainda que 14% dos participantes não recebem nenhum subsídio, o que representa uma ligeira descida quando comparado com os dados do ano passado (18%). Em 2018, eram 32% dos portugueses que pretendiam utilizar a totalidade do subsídio para pagar as respetivas férias. Mais 14 pontos percentuais do que em 2017, quando apenas 18% dos inquiridos assumiram ter planos para despender a totalidade do valor. Em 2016, não mais que 15% planearam fazê-lo.

Relativamente aos gastos, 38% dos que vão de férias no verão tencionam utilizar o cartão de crédito, mas não sabem que montante irão gastar. Aqueles que referem que não irão utilizar o cartão de crédito para pagar essas despesas representam uma grande parte dos inquiridos que vão estar de férias no verão (43%). Entre os que referem ter de utilizar cartão de crédito, 33% irão utilizar entre 250 euros e 999 euros. Os inquiridos que mais tencionam usar este método de pagamento têm entre 25 e 34 anos de idade (26%) e também residem na região Norte (18%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, durante a inauguração das Escadinhas da Saúde rolantes, ao Martim Moniz. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

Crescimento do turismo em 2019 é o mais baixo desde a última crise

Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP.
JOÃO RELVAS/LUSA

Bancos ganharam mais de 5,2 milhões por dia

Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP, durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do 1.º trimestre de 2019, Lisboa, 9 de maio de 2019. JOÃO RELVAS/LUSA

BCP vai fazer uma proposta de distribuição de dividendos “muito conservadora”

Quase metade dos portugueses vai usar a totalidade do subsídio com as férias