Douro

Quinta Nova lança vinho de homenagem a Américo Amorim

AETERNUS 2017

AETERNUS comemora os 20 anos da família Amorim no negócio do vinho

AETERNUS é o novo vinho da Quinta Nova que pretende comemorar os 20 anos da família Amorim no negócio do vinho e, também, homenagear Américo Amorim, precursor do projeto. São 3.566 referentes à vindima de 2017, ano de falecimento do empresário nortenho, e que terão um preço de venda ao público recomendado de 140 euros cada.

“Apaixonado pelo Douro, pelos socalcos da vinha centenária e pelos quilómetros de muros de xisto que enriqueceram a região ao longo dos tempos, Américo Amorim rapidamente encontrou na beleza da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo a concretização de um sonho antigo. Em 1999 adquiriu a propriedade, marcando oficialmente a entrada da família Amorim no negócio de produção de vinho de elevada qualidade”, destaca a empresa em comunicado, sublinhando que, duas décadas depois, o projeto “é uma referência incontornável” na histórias dos vinhos portugueses. Em 2018, a família adquiriu a Quinta de Taboadella, no Dão, e passou a atuar em duas regiões “clássicas de enorme potencial e futuro”. O lançamento oficial dos vinhos do Dão está agendado para o próximo ano.

Já o AETERNUS é proveniente da “melhor vinha centenária da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, plantada em sólidas rochas de xisto ao longo de 2,5 hectares, com uma produção média de, apenas, 0,4 kg por planta”. O resultado é a “expressão fiel” do terroir distinto do Douro, “combinando a robustez das castas indígenas com a perseverança humana, numa afirmação do perfil clássico do Douro, da sofisticação do seu carácter único e longevidade iminente, tal como a marcante história e percurso do homem que o inspira”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido REUTERS/Henry Nicholls - RC12D8BECE70

Boris Johnson ganha eleições britânicas com maioria absoluta

Trump Xi China

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

EDP processa o Estado. Elétrica exige 717 milhões de euros

Outros conteúdos GMG
Quinta Nova lança vinho de homenagem a Américo Amorim