Tecnologia

Vem aí o acesso instantâneo à internet. É uma revolução

bateria-smartphones-3-960x540_c

Daqui a três anos já deverão ser vendidos 800 milhões de smartphones 5G. Impacto deverá também refletir-se nos investimentos públicos.

O 5G passou de fantasia a realidade em Barcelona: a tecnologia ainda não está disponível para os utilizadores, mas do lado dos fornecedores de serviços está tudo pronto para esmiuçar aquele que promete ser um dos maiores saltos tecnológicos de sempre.

Empresas como a Nokia, Ericsson, ZTE, Huawei, Intel e Qualcomm, entre outras, fizeram da nova geração de redes móveis a sua grande bandeira no Mobile World Congress.

“Sempre que dás mais velocidade de rede às pessoas, elas vão descobrir uma forma de usá-la. Vão surgir novos cenários e utilizações que ainda não conseguimos imaginar e que vão consumir muitos dados”, explicou Ben Wood, diretor de pesquisa da consultora CCS Insight.

Enquanto tecnologia, o 5G promete velocidades de acesso à internet móvel que podem chegar aos 10 gigabits por segundo (Gbps) e tempos de resposta inferiores a um milissegundo. Ou seja, tudo o que for feito online, seja em casa ou na rua, será instantâneo.

A vontade de colocar o 5G nas mãos dos consumidores é de tal forma grande que até os próprios analistas estão surpreendidos com a movimentação das empresas. “A Xiaomi já está a baixar a barreira para o 5G de forma mais agressiva e acessível do que pensávamos”, comentou o especialista, a propósito do telemóvel da marca chinesa de 599 euros que vai chegar à Europa já em maio.

Leia também | LG tenta inovar com 5G, ecrã duplo e controlo por gestos à distância

O maior desafio do 5G vai ser colocá-lo nas mãos dos consumidores. “Há muito para fazer a nível de infraestrutura para termos o 5G”, defendeu Charles Ferland, diretor-geral da unidade de fornecimento de serviços de comunicação da Lenovo. As primeiras redes comerciais devem chegar ainda neste ano.

A partir daí o impacto será enorme: o 5G permitirá massificar a utilização de drones para fazer entregas, o que irá diminuir o número de veículos nas estradas e a necessidade de investir nestas infraestruturas, exemplificou o executivo. Em última instância, as possibilidades do 5G vão inclusive ter um impacto na gestão das finanças públicas.

“Esperamos que o 5G se torne muito importante, muito depressa. Vai ser, pelo menos, tão grande quanto o 4G, que foi a tecnologia móvel com adoção mais rápida na Europa”, disse Shaun Collins, outro elemento da CSS Insights. “Assim que experimentares o 5G, não vais querer voltar ao 4G”.

* A Insider / Dinheiro Vivo viajou para Barcelona a convite da Lenovo

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

FOTO: TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Vem aí o acesso instantâneo à internet. É uma revolução