Marketing

Adidas pede desculpa após este email:”Parabéns sobreviveu à Maratona de Boston”

BOSTON

Apenas quatro anos depois do ataque bombista que vitimou três pessoas, email marketing foi considerado insensível pelos consumidores.

A Adidas pediu desculpa depois de ter enviado um email aos clientes dando-lhes os parabéns por terem “sobrevivido” à Maratona de Boston.

O tema do email marketing enviado pela marca desportiva na terça-feira aos clientes tinha como assunto “Parabéns, sobreviveu à Maratona de Boston”. Quatro anos depois do ataque bombista em 2013 que matou três pessoas e feriu 260 outros participantes, a mensagem foi encarada nos media sociais como insensível, tendo motivado um pedido de desculpas imediato da marca e publicado também no Twitter da Adidas nos Estados Unidos para os mais de 750 mil seguidores.

Adidas

“A Maratona de Boston é um dos eventos desportivos mais inspiradores do mundo. Todos os anos somos recordados da esperança e resiliência da comunidade de corredores deste eventos”, disse a marca no comunicado em que pede desculpa pela falta de sensibilidade no assunto do email.

 

 

Leia ainda: Como evitar o que aconteceu à Pepsi com o anúncio com a Kendall Jenner

Pelo menos dois sobreviventes do ataque bombista de 2013 participaram na corrida deste ano.

A marca reagiu assim imediatamente às reações negativas nas redes sociais. Pepsi e Nivea foram outras duas marcas que recentemente foram alvo da fúria das redes sociais, que acusaram o anúncio da marca de refrigerantes com a modelo Kendall Jenner de se apropriar do imaginário das lutas de direitos civis e a marca de cremes alemã de racismo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento suplementar mantém despesa de 704 milhões de euros para bancos falidos

Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do ambiente

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Acordo PS-PSD. “Ninguém gosta de um planalto ideológico”

Mario Draghi, presidente do BCE. Fotografia: Reuters

Covid19. “Bazuca financeira tem de fazer mira à economia, desigualdades e clima”

Adidas pede desculpa após este email:”Parabéns sobreviveu à Maratona de Boston”