Empresas estão todas a dizer o mesmo e ninguém está a ouvir

A Business Retreats traz a Portugal dois especialistas em branding para um curso de dois dias. É preciso fazer diferente, avisam.

Carla Alves Ribeiro
Ken Schmidt nunca esteve em Portugal, mas ficou de "coração partido" quando a seleção perdeu contra a Bélgica, no Euro. Martin Flaherty andou, nos anos 80, à boleia pelo país e diz que Ronaldo não o deixa esquecer Portugal. © FOTO: D.R.

Ken Schmidt é conhecido por ter tornado a Harley-Davidson não só uma marca que desperta paixões, mas uma empresa que dá lucro. Martin Flaherty ajudou grandes empresas, como a Coca-Cola, General Motors e IBM, a criarem consumidores fiéis. Os dois norte-americanos vão estar em Portugal no próximo mês de novembro, como oradores principais da iniciativa Business Retreats, e a principal mensagem que vão passar aos profissionais que os estiverem a ouvir, é que todas as empresas estão a dizer a mesma coisa e que é preciso fazer diferente.

A mensagem que está a ser passada aos consumidores é mesmo toda igual? "Sim, sim, sim, sim, sim!", responde com ênfase Ken Schmidt. "Os líderes empresariais e a maioria das pessoas do marketing acredita que falar acerca da sua "qualidade" ou "compromisso para com a satisfação do cliente" faz com que, de alguma forma, se distingam no mercado. Estão a gozar comigo? Porque é que alguém diria às pessoas aquilo que elas já ouviram de todas as empresas do planeta, quando se podia dizer algo que é tão completamente inesperado que elas não teriam outro remédio senão reparar, lembrar e transmitir aos outros", afirma Ken Schmidt. "A verdade simples é que, quando se diz às pessoas aquilo que elas esperam ouvir ou aquilo que ouviram outros dizer, ninguém presta atenção".

Mas não é mais difícil hoje do que nos tempos em que esteve na Harley-Davidson, nos anos 90 do século passado, ter uma mensagem diferenciadora? "Absolutamente não! Não estamos apenas a falar de iniciativas de marketing ou promoção de vendas. Estamos a falar de reposicionar completamente um negócio para se tornar o concorrente dominante". O que está em causa, sublinha, "não tem nada a ver com o produto ou o serviço que a empresa vende e tudo a ver com a forma como a empresa se apresenta ao mercado". E garante que "criar experiências memoráveis é mais fácil do que as pessoas pensam, independentemente do âmbito ou dimensão do negócio".

Torna-se claro para estes especialistas que as empresas estão a cometer erros quanto ao seu posicionamento no mercado. "Acabei de tomar café com uma das mais bem sucedidas pessoas do mundo dos negócios de que nunca terá ouvido falar. Tem sido responsável por mais de 50 fundos de capital de risco de algumas das maiores marcas do mundo. Ambos rimos da falta de clareza e da falta de linguagem facilmente entendível que perpassa pelo mundo dos negócios. As palavras "soluções" e "qualidade" estão tão sobre usadas que quase já não têm significado", conta Martin Flaherty. Tal como Ken Schmidt, considera que "erros são cometidos quando as empresas dizem exatamente o que os outros estão a dizer tornando óbvio que ninguém está realmente a dizer alguma coisa".

O especialista diz que "nunca antes foi tão fácil satisfazer os consumidores". O desafio é sobressair de uma forma que faça sentido para criar uma conexão a um nível muito humano". Flaherty sublinha que "é quase impossível hoje criar um mau produto. Dos carros aos jeans, quase tudo faz o que promete e bastante bem. O que não está a acontecer é a criação de conexão real. Crie uma conexão com sentido e os clientes tornar-se-ão clientes para a vida", assegura.

A Business Retreats é uma nova marca da FarmIn, empresa criada em 2017 para dar formação na área do agroalimentar. "Já no modelo de formação da FarmIn, o diferenciador sempre foi a profundidade das temáticas nos cursos, aliadas a formadores de renome internacional. Desde cedo, começámos a identificar que alguns dos nossos clientes FarmIn tinham interesse em formações e cursos em outras áreas, mais ligadas, por exemplo, à gestão, marketing, operações. E, por isso, em 2020, decidimos criar a Business Retreats, focada exclusivamente em temas estratégicos corporativos", explica Francisco Matalonga, um dos promotores. O "retiro" de dois dias decorrerá em Tomar, num espaço "rodeado de natureza" e são esperados 30 participantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG