publicidade

Banco CTT arranca com campanha crédito à habitação. “O spread não é tudo”

A carregar player...

O crédito à habitação voltou à comunicação dos bancos. Depois do Bankinter e do Santander é o Banco CTT que comunica este produto

Quase quatro meses depois de ter lançado a oferta de crédito à habitação, o Banco CTT arranca com a campanha de comunicação para promover o seu mais recente produto e deixa um aviso: “o spread não é tudo”.

Depois de anos de ausência, o crédito à habitação voltou a ser um produto objeto de comunicação dos bancos, num momento em que os portugueses regressaram ao mercado de compra de casa. Depois do Bankinter (que comprou o Barclays), em março o Santander arrancou com a campanha “Quem quer casa vai ao Totta”, recuperando um antigo claim de comunicação do banco, agora é a vez do Banco CTT.

Os créditos à habitação oferecidos pelo banco têm um spread único, independentemente, do valor de empréstimo e dos produtos detidos pelo cliente: 1,750% (para empréstimos com rácio de financiamento/garantia entre 65% e 80%) e de 1,65% (com rácio inferior ou igual a 65%). E ainda assim, o Banco CTT garantia ter, feitas as contas de todos os custos associados, “claramente a melhor proposta para 80% das famílias portuguesas”.

A campanha, com criatividade da Partners, que hoje arranca centra aí o seu foco. “Quando comprar casa veja o cenário todo. No Banco CTT pode pagar menos”, é mote da campanha, uma espécie de “alerta para todos aqueles que são levados a contratar créditos com base apenas nas taxas de spread publicitadas, sem contar com todos os outros custos que são adicionados posteriormente”, diz o banco.

Leia ainda: Juros na habitação batem novo mínimo histórico

“O spread não é tudo”, avisa o banco, lembrando que o cross selling de produtos, muitas vezes oferecidos pelos bancos, para baixar a taxa de spread dos créditos eleva o custo total do empréstimo (TAER), com impacto na vida das pessoas.

“Esta campanha reforça a postura do Banco CTT enquanto parceiro dos seus clientes, que propõe uma oferta simples, de baixo custo. Um banco muito próximo em quem as pessoas podem confiar. O argumentário subjacente a esta campanha demonstra isso mesmo: connosco não há custos surpresa. E alerta para os riscos de quem, olhando apenas para o spread publicitado, acaba por escolher ofertas de crédito habitação mais caras”, diz João Mello Franco, administrador do Banco CTT com o pelouro do marketing.

Dai, a opção criativa de apresentar uma “casa inacabada a que faltam paredes, num dos casos até o teto, e os membros de uma família que contratou um crédito num banco que lhes deixou a casa aquém dos seus planos de vida”.

Campanha promove ainda a app, a casa BCTT, que permite ao cliente acompanhar o processo de contratação de crédito.

(notícia atualizada às 15h43 com precisão sobre os valores de spread)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Banco CTT arranca com campanha crédito à habitação. “O spread não é tudo”