publicidade

Caixa à procura de agência de publicidade

(Fotografia:  REUTERS/Jose Manuel Ribeiro)
(Fotografia: REUTERS/Jose Manuel Ribeiro)

Há pelo menos três agências na corrida à conta de publicidade do banco do Estado.

A Caixa Geral de Depósitos está a fazer uma consulta ao mercado para encontrar uma nova agência de publicidade, apurou o Dinheiro Vivo.

Fonte oficial do banco do Estado não comenta esta informação, mas ao que foi possível apurar a consulta ao mercado terá arrancado há pouco mais de um mês, estando, pelo menos, três agências de publicidade na corrida.

Além da Fuel, que desde outubro de 2014 trabalhava a conta do banco, estarão ainda a ser ouvidas outras duas agências, a Fullsix (que tinha a área digital), bem como a Young & Rubicam, antiga agência de publicidade do banco.

As campanhas mais recentes da Caixa, assente no conceito de portugalidade da marca e em que surgem referências à bandeira nacional e com figuras em cerâmica de Bordallo Pinheiro, tinham sido produzidas internamente, sem recurso às agências do banco.

O banco nos últimos anos reduziu substancialmente o seu investimento publicitário. De janeiro a outubro de 2017, o grupo Caixa investiu 5,4 milhões de euros, menos 65,2% do que face a igual período do ano passado, momento em que o banco investiu 15,6 milhões de euros, segundo dados da MediaMonitor, ou seja, a valores de tabela (sem os descontos praticados pelos media). Num ano, o banco passou do 129º maior investidor, para a 199ª posição de acordo com o ranking do estudo da Marktest.

A Caixa também reduziu substancialmente a sua presença nos festivais de Verão. O banco deixou de patrocinar vários festivais NOS Primavera Sound, NOS Alive, Super Bock Super Rock, EDP Cool Jazz Fest e Meo Sudoeste, tendo mantido apenas o dedicado ao Fado, o Caixa Alfama.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Pedro Amaral Jorge, presidente da APREN
(João Silva/Global Imagens)

APREN. Renováveis contribuem com 15 mil milhões de euros para o PIB

Outros conteúdos GMG
Caixa à procura de agência de publicidade