Escreveu sobre "De onde vêm as Bruxas?" e ganhou 25 mil euros

Queria ser escritora e conseguiu. Joana Margarida Pires Lopes, 30 anos, é professora na Escola Profissional da Sertã e ganhou a 1.ª fase do 1.º Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce (categoria de texto), cabendo-lhe parte do grande prémio: 25 mil euros.

"De onde vêm as Bruxas?" foi a

escolhida pelo Júri presidido pela Alêtheia Editores, representado por

Zita Seabra e composto por Eduardo Sá, Isabel Stilwell, Isabel

Zambujal e Sara Miranda.

O diretor geral do Pingo Doce, Luís

Araújo, entregou o troféu à autora, simbolicamente, no Dia da Criança, dia 1 de junho, na Feira do Livro de Lisboa. O prémio monetário, no valor de 25 mil euros, será entregue

aquando do lançamento do livro, previsto para novembro.

"Esta vitória significa a concretização

de um sonho. É extraordinário pensar que, em poucos meses, terei a

minha história publicada! Mais do que o prémio monetário é o

reconhecimento da qualidade do meu texto que me enche de alegria e

orgulho", diz Joana Margarida Pires Lopes.

Até 1 de agosto decorre a fase de envio de propostas de ilustração da história vencedora "De onde vêm as bruxas?". Apurado também aí o vencedor em ilustração, a quem caberá o prémio de 25 mil euros, segue-se o lançamento do livro em novembro, que está disponível em cerca

de 300 lojas Pingo Doce.

Ler também: As nossas marcas são as preferidas dos portugueses

"Ter a possibilidade de dar vida a novos talentos é

para nós um enorme privilégio. Foi com grande satisfação que

verificámos a forte adesão dos portugueses ao desafio que lhes

lançámos. Espero que as candidaturas na fase de ilustração tenham

a mesma qualidade e diversidade", diz Luís Araújo.

A 1.ª fase do Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce recebeu mais de 1.500 candidaturas oriundas

de todas as regiões de Portugal Continental e das Ilhas foram. No

entanto, foram as regiões da grande Lisboa, Norte e Centro que reuniram

maior número de candidaturas.

As mulheres representaram 75% do total

de candidatos e a faixa etária que mais obras submeteu à avaliação

do Júri situou-se entre os 30 e os 50 anos, informa o grupo Jerónimo Martins, dono do Pingo Doce.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de