Estas quatro equipas vão "acelerar" com a Carnegie Mellon nos Estados Unidos

Duas do Porto, uma de Lisboa e uma do Minho: são quatro as equipas escolhidas para passarem seis semanas em Pittsburgh, Estados Unidos, na primeira edição do programa de aceleração InRes - Entrepreneurship in Residence.

Trata-se da mais recente iniciativa do programa Carnegie Mellon Portugal, que foi lançada em março e selecionou quatro equipas entre 14 candidaturas. A preparação dos escolhidos começa esta semana no Instituto

Superior Técnico.

Os projetos escolhidos apresentam potencial elevado de comercialização de produtos e serviços na

área das Tecnologias de Informação e Comunicação, explica a CMU-Portugal. As equipas são a DISPLR, do Minho, a FollowPrice, de Lisboa, a WeTruck e a Xhockware, ambas do Porto.

Leia também: Pittsburgh oferece incentivos a empresas portuguesas que invistam na região

"As quatro equipas selecionadas apresentam ideias de

negócio focadas na criação de novas aplicações e soluções

tecnológicas, relevantes do ponto de vista da competitividade e do

valor acrescentado para empresas e utilizadores finais", indica

João Claro, diretor nacional do Programa CMU Portugal.

DISPLR

É uma

spinoff da Universidade do Minho, que apresenta uma nova rede social para reformular o papel das demonstrações públicas digitais

como um meio de comunicação, com um foco nos processos de interação

social e reforçando a cadeia de valor.

FollowPrice

É uma startup apoiada pelo programa

Bluestart da Portugal Telecom e que venceu o BET Breaking Tech em abril. Tem uma ferramenta de marketing

digital vocacionada para sites de comércio eletrónico e permite aos clientes seguirem os seus

produtos favoritos e, posteriormente, serem avisados sobre as suas

mudanças de preço.

WeTruck

É um projeto

pré-incubado no UPTEC, que está a desenvolver um sistema inovador

de recuperação de energia para camiões de refrigeração.

Xhockware

É uma startup incubada no

UPTEC, que tem como primeiro produto o SmartShopping, um sistema de

checkout que pretende mudar a forma como os clientes realizam o processo

de compra em loja, permitindo efetuar o pagamento de um carrinho de

compras completo em menos de um minuto, assegurando ao retalhista

proteção contra roubo.

No inRes, estas equipas vão

beneficiar de um programa único de aceleração de negócios, que

inclui uma primeira fase de formação intensiva em Portugal,

seguindo-se um período de seis semanas de imersão em Pittsburgh e

na Carnegie Mellon University, nos Estados Unidos. Aí, as equipas

vão passar algum tempo num acelerador de negócios e contactar

com grupos de investigação e especialistas de topo, tendo acesso a

redes globais de empreendedores, parceiros, potenciais clientes e

investidores, entre outros.

"O inRes vai ajudar a fortalecer e a

consolidar as competências de gestão de equipas empreendedoras de

startups de base tecnológica, dado que as exporá a ambientes

internacionais altamente competitivos", afirma João Claro. Esta iniciativa

é encarada como "um passo natural do Programa CMU Portugal", sendo que já foram criadas dez startups em sete anos de parceria

entre universidades e laboratórios de investigação portugueses,

empresas e a Carnegie Mellon University.

Entre os especialistas envolvidos no

programa destacam-se Tara Branstad, diretora associada do Center for

Technology Transfer and Enterprise Creation (CTTEC) da CMU, Dave

Mawhinney, codiretor do Centro de Inovação e Empreendedorismo da

CMU e diretor do i6 Agile Innovation System, Suzi Pegg,

vice-presidente de marketing global da Pittsburgh Regional Alliance,

e também João Claro. Segundo o responsável, está já prevista uma

segunda edição do inRes, a lançar em 2015.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de