Arte

Vhils, Chafes e Croft com intervenções em barragens da EDP

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Artistas passam a integrar o Roteiro de Arte em Barragens lançado pela EDP em 2006

Vhils, Rui Chafes e José Pedro Croft são os novos artistas chamados a intervir em barragens da EDP. Um conjunto de trabalhos inserido no Roteiro de Arte em Barragens, lançado pela elétrica em 2006.

“Este roteiro, inovador a nível mundial, tem projetado o grupo em dimensões que vão muito além da sua principal atividade, reforçando o seu ADN enquanto impulsionador de arte”, destaca a EDP no site da empresa.

“Uma ‘lâmina na paisagem’, em forma de refúgio ou abrigo, numa vertigem de queda: um espaço, para onde nos retiramos do mundo”, é como Rui Chafes descreve a obra Despedida que instalou na barragem de Foz Tua, o mais recente aproveitamento hidroelétrico construído pela EDP.

José Pedro Croft instalou a sua obra na barragem do Baixo Sabor. “O grande desafio na conceção da obra prendeu-se com a sua integração numa barragem, uma obra de engenharia grandiosa, e numa paisagem avassaladora, e muito exigente, porque não tem nada (árvores ou casas) que lhe deem escala humana”, diz. “Foi preciso também encontrar a localização exata e adequada a essas condicionantes. As sugestões sábias de Álvaro Siza na escolha do local para instalar a peça foi fundamental”, refere ainda o artista sobre a obra (Sem Título).

Alexandre ‘Vhils’ Farto interviu na barragem da Caniçada, que acolheu a obra Visceral. “Com o objetivo de humanizar o muro de contenção que rasga a paisagem através de uma intervenção que irá evoluir com o tempo e adaptar-se à mesma, a obra estabelece uma reflexão sobre a resiliência da população local face ao êxodo rural que tem afetado a região e a importância da regeneração geracional, assim como sobre a ligação entre o ser humano, o meio envolvente e o património edificado, sublinhando as particularidades da paisagem cultural e identitária local. Uma obra que liga a herança do passado à sustentabilidade do futuro”, descreve.

Os três novos artistas juntam-se ao Roteiro de Arte em Barragens que conta já com obras de Pedro Calapez (Picote), Pedro Cabrita Reis (Bemposta), Graça Morais (Frades), José Rodrigues (Alto Lindoso) e João Louro (Alqueva), bem como com intervenções arquitetónicas de Álvaro Siza (Baixo Sabor) e Eduardo Souto Moura (Foz Tua).

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

Salvador de Mello
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Saúde não pode andar “ao sabor de ventos políticos”

Outros conteúdos GMG
Vhils, Chafes e Croft com intervenções em barragens da EDP