João Vidigueira. Quer um 2021 de pés pouco assentes na terra

João Vidigueira, Head of Art na Jack the Maker, revela os seus desejos para 2021 em cinco campanhas que nos fazem sonhar.

"O meu sincero desejo é que 2021 não seja o ano do regresso ao normal", diz João Vidigueira. O Head of Art na Jack the Maker quer regressar ao normal não seja sinónimo de estagnação e desculpa para não fazer a coisa certa. E alinhou cinco campanhas que espelham melhor tudo o que deseja do novo ano.

Leia e veja aqui:

"2021: De pés pouco assentes na terra

Serve o presente texto como reflexão metafórica de um criativo muito habituado a escrever sobre problemas do coração e da cabeça e pouco habituado a reflexões a sangue frio sobre a área profissional que abraçou. Sem sombra de dúvida que me falta a delicadeza nas palavras, que um copywriter de excelência teria e a experiência de anos e anos nesta área que qualquer art director digno deste convite carregaria consigo. Tendo isto, resta-me apenas o conhecido mau feitio e a muitas vezes danosa "falta de filtro".

O meu sincero desejo é que 2021 não seja o ano do regresso ao normal. Que não seja o ano em que as rotinas voltam para nos encarrilhar nos carris ferrugentos da publicidade pela publicidade. Que os olhos cada vez mais dependentes da luz artificial dos écrans não sejam inundados de anúncios de apelo sentimental cínico e vazio. Que não seja o ano em que a "falta de ..." volta a ser "desculpa para ...". O meu sincero desejo é que normal seja sinónimo de estagnação e não de progresso. Que a mensagem dentro da cabeça de quem escreve, dirige ou realiza seja: "Let"s not go back to normal".

Anúncio: Let´s not go back to normal (2020)

Anunciante: Durex

Agência: Havas Londres

Que as rotinas do costume e o recurso cego aos meios tradicionais sejam um reflexo da inércia e da falta de coragem. Que a força motivadora de quem cria seja o que está mal hoje somado à vontade de fazer bem amanhã. Porque, If you "Hate something. Change something."

Anúncio: GRRR (2004)

Anunciante: Honda

Agência: Wieden+Kenndy Londres

Que o apelo ao sentimento se veja cumprido em campanhas que procuram realmente fazer a diferença ou pelo menos motivá-la sem as cortinas de fumo habituais.

Anúncio: When I Grow Up... (1999)

Anunciante: Monster.com

Agência: Mullen

Que a "falta de ..." seja a desculpa para mais e melhores soluções criativas. Se for para regressar a algum lado que seja ao tempo das ideias ricas, independentemente do budget.

Anúncio: Back to the Start (2011)

Anunciante: Chipotle

Agência: CAA Marketing

Que 2021 seja um ano em que as marcas nos apontam para a frente e não para o que temos nas mãos. Que seja um ano para se ter os pés bem longe da terra e as cabeças bem cheias de sonhos e ambições.

Anúncio: If You Let Me Play (1995)

Anunciante: Nike

Agência: Wieden & Kennedy, Portland

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de