publicidade

Ninguém nos pára.Sagres investe 7,5 milhões para falar com geração “no bullshit”

A carregar player...
Ninguém nos pára.Sagres investe 7,5 milhões para falar com geração “no bullshit”

Histórias de fazedores, jovens portugueses que fazem acontecer. A Sagres muda o tom da comunicação da marca e tem nova assinatura.

Uma nova assinatura, uma “renovação no tom da comunicação” e e 7,5 milhões de euros é quanto a Sagres vai investir para comunicar com os millennials, a geração “autêntica” do “no bullshit”. A campanha, com criatividade da BAR, arranca hoje.

“Vamos falar com uma geração que está a tomar conta de Portugal”, diz Filipe Bonina, diretor geral de marketing da Sociedade Central de Cervejas, a dona da Sagres. Esta é uma campanha que fala para a geração millennial e edgers – entre os 18 e 35 anos – a mesma geração do Salvador “que ganhou com verdade” ou não fosse a sua geração aquela que se revê na autenticidade e do “no bullshit”, descreve o responsável.

Empena Sagres_Kid GalindroPara falar para esta geração, a Sagres e a BAR abandonaram a comunicação de celebridades e chamaram o público-alvo à comunicação. São eles os novos protagonistas: os representantes de uma geração que faz acontecer. Não se trata de atores, frisou Luísa Motta, gestora de marketing da Sagres. Uma geração que apanhou os anos de Portugal em crise “mas que, à sua maneira, adaptou esta realidade para ir ao encontro das suas necessidades”, diz.

Fábio “Kid” Galindro é um dos oito protagonistas que contam a história dessa geração. O graffiter – autor da peça que vai ser pintada em Algés – diz que se identificou com a campanha. “A ideia de não estar parado, de ver algo mal e trabalhar para melhorar”, diz.

Catarina Casqueiro (Dança), João Coelho e Mafalda Chantre (Educação), Nuno Loureiro e Francisco Sousa (Inovação e Empreendedorismo), Marta Félix e Pedro Faria (Solidariedade Social) são os protagonistas da campanha que vai viver também no digital com cinco curtas com as histórias dos protagonistas.

A Sagres, que tem no futebol – principalmente a Seleção Nacional – o seu foco de comunicação, vem com esta campanha não só dirigir-se a um público-alvo específico, como começa a tocar “diferentes áreas de atividade”, diz Filipe Bonina.

Na campanha que vai marcar o verão da Sagres, a marca investiu 7,5 milhões de euros, a preços de tabela, informa Filipe Bonina. O valor não contempla os descontos praticados pelos media, mas lembra o responsável de marketing, “é o mesmo investimento do ano passado, que foi ao de Europeu de Futebol e Portugal esteve até ao fim”.

“Sagres, ninguém nos para” é a assinatura desta nova fase da marca, depois de sete anos com a assinatura Somos Nós. Chega depois de em dezembro a marca ter renovada a sua identidade, procurando reforçar a questão da portugalidade.

Com direção criativa de Diogo Anahory e José Carlos Bomtempo, a campanha de TV tem produção da Krypton e realização de Pedro Pinto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, da Administração e do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca (E), dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (2-E), do Orçamento, João Leão (2-D), e do Tesouro, Álvaro Novo (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça as principais medidas do Orçamento do Estado para 2019

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (E), do Orçamento, João Leão (2-D), e o Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Dos partidos aos sindicatos, passando pelo PR, as reações ao OE 2019

Outros conteúdos GMG
Ninguém nos pára.Sagres investe 7,5 milhões para falar com geração “no bullshit”