publicidade

Nivea retira campanha depois de acusações de racismo

nivea

Marca já retirou post colocado no Facebook da marca no Médio Oriente.

Na mesma semana que a Pepsi teve que retirar campanha do ar com Kendall Jenner, a Nivea viu-se no olho do furação das redes sociais depois de uma campanha com a frase “O branco é pureza” ter sido acusada de racismo.

Leia mais: Como evitar o que aconteceu à Pepsi com o anúncio com a Kendall Jenner

O anúncio da marca da alemã Beiersdorf para o desodorizante Invisible For Black & White surgiu num post na página do Facebook da marca no Médio Oriente e mostrava uma mulher caucasiana, de costas, vestida de branco e a frase “mantém branco, mantém brilhante. Não deixes que ninguém o estrague, #invisível”.

As reações nas redes sociais não se fizeram esperar, com os utilizadores a considerem que a marca estava a alinhar com movimentos racistas.

A Nivea retirou o anúncio. “Lamentamos profundamente a qualquer pessoa que se possa se ter ofendido com este post especifico”, disse a Nivea em comunicado. “A diversidade e a igualdade de oportunidade são valores cruciais para a Nivea”, disse em comunicado citado pelo New York Times.

A mensagem na página da marca para o mercado do Médio Oriente tinha no entanto uma lógica. O post fazia parte de uma campanha mais alargada do desodorizante da Nivea para esta região que associava a cor negra a força e o branco à pureza. “Não queríamos ferir ninguém ou criar interpretações erradas”, disse um representante da marca, citado pelo NYT.

Não é a primeira vez que a Nivea é acusada de racismo. Em 2011 a marca decidiu retirar a campanha de imprensa para a linha de cuidados masculinos, Revitalizing. A que mostrava um modelo caucasiano tinha a frase: “Sin City não é uma desculpa para parecer mal”, o com o modelo negro?

Nivea_anuncio_2

Os anúncios, parte da campanha Look like you Give a Damn, acabou por ser retirada com a marca a pedir desculpas. “Obrigada por se preocuparem o suficente para nos darem o vosso feedback sobre o recente anúncio Re-civilized Nivea para homem. Este anúncio é inapropriado e ofensivo. Nunca foi nossa intenção ofender ninguém, e por isso lamentamos profundamente. Este anúncio nunca será usado de novo. Diversidade e igualdade de oportunidades são valores crucias para a nossa companhia”, disse na época a companhia, citada pela CNN.

Depois deste novo mau passo a marca vai definir novas regras. “Os atuais processos de desenvolvimento e aprovação vão ser imediatamente revistos de modo a evitar futuras interpretações erróneas”, diz o NYT.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Nivea retira campanha depois de acusações de racismo