Sales Shaker: Inovar e aprender com os melhores nas vendas

"Uma extravagância virtual imersiva, palestrantes cativantes, oportunidades de recrutamento, interações qualificadas." Assim apresenta Helga Saraiva-Stewart a terceira edição do evento.

"Inovar as Vendas B2B, elevar o perfil do profissional comercial e acelerar a geração de leads através de networking qualificado" são objetivos assumidos por Helga Saraiva-Stewart. A profissional por trás do Sales Shaker, evento internacional de referência dedicado a líderes e profissionais responsáveis por desenvolver negócio B2B, que conta com uma parceria com a Lead-Results e se apresenta em formato "powered by Nova School of Business and Economics", está de volta e traz ao campus de Carcavelos mais de 40 oradores e 300 participantes, via 100% virtual.

Veja aqui toda a informação

Prolongando-se por um dia inteiro de grande atividade - 30 de setembro, das 9.00 às 18.00 e repartido por diferentes espaços com painéis e programas simultâneos -, o evento é uma vez mais montado para pôr estrategas, influenciadores e educadores de sucesso global na sua indústria a ajudar os profissionais de venda, a "inspirar e empoderar através da partilha de ideias, boas-práticas e respostas aos maiores desafios nas Vendas B2B em 2021".

"Continuo a sentir, seja pré ou pós-covid, que as competências mais fundamentais nas vendas, ou seja na área da prospeção e angariação de novo negócio, não estão a ser inovadas. Se já faltavam antes, o período pós-covid acentuou estas vulnerabilidades porque não há onde esconder possíveis falhas nestas competências durante períodos de disrupção ou recessão", explicava no fim da última edição Helga Saraiva-Stewart. "Falamos de habilidades como saber abordar e iniciar uma conversa comercial com um contacto novo, transitar o nosso foco do produto para o valor que representamos para o nosso cliente ou prospeto, e atrair e conquistar a atenção de um decisor por telefone, email ou redes sociais. Para gerar mais oportunidades junto de compradores que estão mais bem informados e digitais, eu preciso de saber exatamente o que dizer e como o dizer. Algo difícil, sim, mas que se torna razoavelmente simples quando se sabe como o fazer."

Neste ano, o Sales Shaker vai repartir-se por cinco tipos de ambientes: o clássico Nova SBE Hall, palco principal por onde passarão os oradores; o Leaders Lounge, onde se desenrolam os Grandes Debates, em que dois lados com argumentos opostos discutem "temas impactantes nos resultados e competitividade das empresas em 2021", sendo o público convidado a contribuir; as Mastermind Tables, numa dinâmica mais intimista e focadas em temas mais concretos; o Micro and PME Innovation Hall, dedicado a "tópicos especificamente formatados para inspirar, capacitar e empoderar um dos segmentos económicos de maior valor, relevância e potencial, as micro, pequenas e médias empresas"; e por fim o The Village, onde os participantes podem encontrar soluções para grandes desafios operacionais e comerciais.

Entre os nomes que vão passar pelo Sales Shaker, que volta à componente presencial neste ano, conta-se o de Cynthia Barnes, fundadora e CEO da National Association of Women Sales Professionals, Influencer Salesforce 2021 e LinkedIn Top Sales Influencer 2020, uma pioneira na defesa de um lugar nas mulheres nas vendas. O tubarão português radicado na África do Sul, Tim Vieira; o diretor-geral da Tabaqueira, Hugo Marcelo Nico; o responsável pelas vendas da Outsystems, Hugo Soares; o deputado escocês Stephen Kerr; e a managing director da Transform-Consulting são alguns entre dezenas de convidados de luxo que vão dar o seu contributo e partilhar experiências no Sales Shaker 2021.

Helga Saraiva-Stewart assume que uma das ambições do Sales Shaker, nesta terceira edição, "é ser um catalisador para servir e desenvolver uma comunidade dinâmica de líderes e profissionais nas vendas B2B que aporta e representa valor significativo para os seus membros". A fundadora da Lead Result assume-se mesmo especialmente empenhada em trazer um grande nível de profissionalismo às vendas - uma área que tendencialmente evoluiu com alguma informalidade. E por isso mesmo montou mais uma vez um programa ambicioso e capaz de revolucionar a forma como estas equipas portuguesas trabalham. Com resultados, que é o que mais importa, ao fim do dia.

E o que é que falta em Portugal? "Falta inovação", admitiu Helga no lançamento do seu evento de assinatura, ao Dinheiro Vivo. "O comprador lá fora é ultrassofisticado. Nos últimos 10/15 anos este comprador obrigou-nos a mudar a forma como vendemos. Já não é suficiente pegar no telefone e dizer: quero mostrar os meus novos produtos, nem é suficiente estarmos a mandar um link ou uma campanha digital. Temos de inovar a forma como olhamos para o cliente e na nossa atitude para com o cliente. Já não é suficiente usar os métodos antigos", vinca a mulher que tem o projeto de vida de ajudar a criar um nível de vendas B2B de primeira linha em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de