The Sandeman Chiado. O vinho do Porto quer conquistar os millennials

Grupo Sogrape quer apostar num novo mercado para os Vinhos do Porto: para se aproximar dos millennials, abriu um restaurante/bar.

O Vinho do Porto tem nova casa em Lisboa. Chama-se The Sandeman Chiado e é a mais recente aposta do grupo Sogrape para divulgar os Vinhos do Porto junto dos clientes e, sobretudo, do público mais jovem. Foi a pensar nos millennials que o grupo decidiu abrir o primeiro bar/restaurante de rua dedicado à marca do 'capa negra'.

O Don (o famoso símbolo da marca, que representa Portugal através da capa negra dos estudantes de Coimbra, e o sombrero típico de Jerez) tem lugar de destaque na sala superior do The Sandeman, mas a experiência do Vinho do Porto começa logo na esplanada do Largo Rafael Bordalo Pinheiro.

"O nosso grande desafio é esse: apresentar o Vinho do Porto às novas gerações. É um produto português. Não há português que não tenha uma garrafa de vinho do Porto em casa, mas não sabem como consumi-lo, fazem-no sempre de forma muito tradicional. E é isso que queremos desmistificar e alterar o consumo", esclarece Manuel Guedes, administrador da Sogrape, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

Procurando manter o cosmopolitismo da marca, o projeto foi um trabalho de meses e implicou um investimento que Manuel Guedes prefere não adiantar. Tudo com uma estratégia traçada: "fazer desta marca, ou pôr esta marca exatamente no sítio onde ela devia estar: dá-la a conhecer às pessoas novas formas de se beber vinho do Porto, seja em cocktail, seja a acompanhar uma refeição, seja como a pessoa quiser. Digo sempre que, para se beber um vinho, não há regras, temos que o beber da maneira que mais gostamos", detalha.

Leia mais: Vinho do Porto entrou na moda e vendas crescem a dois dígitos

Da carta do The Sandeman Chiado - da autoria dos chefs Luís Américo e João Pupo - fazem parte pratos especialmente pensados para os cerca de duas dezenas de cocktails diferentes. O trabalho foi resultado de um grupo interno formado especificamente para o efeito.

"Fizemos um processo inverso que se faz quando se monta o projeto que envolva a gastronomia. Olhámos para a nossa gama de Vinhos do Porto Sandeman e, vinho a vinho, fomos tentando perceber com que prato - ou wine pairing - se fazia a melhor harmonização", conta Duarte O'neill, gestor de negócios da Grape Ideas, a empresa da Sogrape que ativa os negócios para o consumidor final e que se reflete em projetos como o The Sandeman Chiado. O trabalho de equipa, que inclui insights da equipa de enologia da Sandeman, da Grape Ideas e dos chefs eleitos, permitiu criar uma carta conjunta que chegou a um conceito-matriz onde se juntam "os vinhos aos pratos". "A pessoa pode ir descobrindo o wine pairing ideal para esse vinho. Ideal no sentido em que é uma proposta nossa, porque os vinhos não têm regras, qualquer pessoa pode beber o vinho que quiser com o que quiser, mas aqui fazemos uma sugestão que pode suscitar interesse no conceito", explica Duarte.

Fundada em 1790, em Londres, por George Sandeman, um escocês que resolveu investir 30 libras emprestadas pelo pai na criação de um negócio de comercialização de Vinhos do Porto (Portugal) e de Jerez (Espanha), a Sandeman foi comprada pela portuguesa Sogrape em 2002. Presente em cerca de 75 mercados, a marca bicentenária quer agora virar-se para um público diferente.

"Diria que estamos mais numa fase aberta aos revivalismos e a voltar a recuperar marcas carismáticas portuguesas do que propriamente o turismo em si. Óbvio que o turismo é muito bom porque gera fluxo de base e o consumo aumenta. Mas queremos sobretudo recuperar muita da beleza que as marcas portuguesas têm. A Sandeman é uma delas e, portanto, achámos que esse era um argumento mais do que suficiente para abrir um projeto desta natureza", conta Duarte.

Também por isso, a viagem ao Vinho do Porto faz-se no centro de Lisboa. "Aqui, as pessoas podem fazer uma descoberta nova do Vinho do Porto através do encontro das ofertas que temos de cocktails de Vinho do Porto e do próprio desafio que é fazer uma refeição integral, acompanhada de vinho do Porto. Esse é o nosso grande objetivo: que as pessoas se sentem de uma maneira descontraída, que se sintam bem no espaço e que descubram aos poucos esta versatilidade que o Vinho do Porto tem e que muita gente não conhece. E desmistificá-lo", conclui Duarte.

O preço médio por pessoa varia entre os 15€ (almoço) e os 30€ (jantar).

 

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de