Amaxofobia. O que é ter medo de conduzir?

O medo irracional de conduzir ou de estar dentro de um veículo tem nome, sintomas que variam de intensidade e tratamento.

Há quem não goste de conduzir à noite, os que se assustam quando veem muito trânsito e até quem prefira fazer o caminho mais longo a ter de atravessar uma ponte de carro. São inseguranças normais associadas à condução, comuns em pessoas com menos experiência. Muito diferente do medo patológico de veículos ou de os conduzir. Chama-se amaxofobia, pode ser virtualmente incapacitante e estima-se que afetará 20 por cento dos condutores em todo o mundo.

O termo nasce da junção de duas palavras gregas: amaxo (significa carro) e fobia, para designar o medo patológico de viajar em veículos ou de os conduzir. De acordo com os especialistas, a fobia não está diretamente relacionada com a máquina em si, mas com a possibilidade da perda de controlo da mesma.

Causas

As causas estão frequentemente relacionadas com traumas de acidentes ou insegurança. Mas há mais exemplos. "O medo de conduzir tem as suas raízes em diferentes situações que nem sempre estão relacionadas com a passagem por uma situação traumática. Entre as causas mais comuns, a fobia surge após o sofrimento de um acidente de trânsito. Apesar disso, também pode estar relacionado com outros medos. Por exemplo, o medo de circular em lugares desconhecidos ou sobre condições climatéricas adversas ou com a falta de luz. A amaxofobia pode aparecer em pessoas com baixa autoestima que apresentam inseguranças ao volante, ou em pessoas com falta de conhecimentos, ou com redução das suas capacidades físicas ou mentais para conduzir (normalmente relacionadas com a idade ou com algum problema de saúde)", explica a Continental.

Sintomas de amaxofobia

De acordo com os especialistas do fabricante de pneumáticos, os sintomas podem ser: insegurança, tensão muscular, aceleração do ritmo cardíaco, sensação de perda de força nos braços e nas pernas ou visão desfocada. A amaxofobia tem associados um conjunto de sintomas reconhecíveis que passam, em primeiro lugar por um sentimento de pânico e terror no momento de pegar no volante e seguir para a estrada. Esta ansiedade é acompanhada por episódios de stress, com o aumento da atividade cardíaca, suor, tonturas e náuseas.

Ajuda profissional

Como explicam a partir da Controlauto, "o objetivo é que o amaxófobo enfrente e ultrapasse o medo de conduzir, voltando a sentir-se confortável na estrada e a bordo de veículos. Entre as opções para o fazer estão as sessões de terapia cognitivo-comportamental, aulas de condução com acompanhamento psicológico e hipnoterapia".

Também para combater esta fobia, o ACP criou um programa de psico-condução especialmente concebido para ajudar a conduzir sem medo. Este programa desenvolve-se de forma conjunta com um psicólogo e um instrutor, contemplando sessões em conjunto que permitam ultrapassar as dificuldades de carácter psicológico e técnico apresentados pelo aluno.

Para saber mais clique aqui: www.motor24.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de