Mobilidade Elétrica

Citroën lança veículo elétrico sem carta por menos de 7 mil euros

citroen-ami-ff618d5c1b4181e7f356836cad6671f16795d3fc

Marca francesa aposta no pequeno veículo elétrico Ami, que não precisa de carta, é partilhável e tem preço low cost. Chega a Portugal em novembro

O problema já é por demais conhecido: como melhorar a mobilidade dos cidadãos dentro dos grandes centros urbanos sem que essa se torne dispendiosa e inacessível numa era em que a eletrificação ganha espaço? Face a este desafio, a Citroën procurou desenvolver uma solução disruptiva para a mobilidade urbana, na forma do Ami, um peculiar citadino 100% elétrico que é direcionado para os jovens e para a sociedade digital.

A Citroën quer democratizar o acesso à era da eletrificação com um pequeno veículo totalmente elétrico que pretende revolucionar a mobilidade urbana. Aliás, na revelação mundial, o Ami é chamado de veículo urbano disruptivo para a mobilidade, proposto como uma forma de menorizar o problema da poluição, congestionamento e custo dos elétricos.

A ideia do Ami nasceu do concept com nome Ami-One apresentado no ano passado, a propósito das comemorações do centenário da marca francesa, preparando-se para as estradas em tempo recorde: cerca de um ano apenas. O Ami será lançado em junho no mercado europeu, sendo assumido por Vincent Cobée, o CEO da Citroën, como um dispositivo de nova geração para a mobilidade elétrica, com um custo acessível de 6900 euros em França (havendo ainda um bónus de 900€ em França).

Além disso, pode ser conduzido sem carta, sendo um quadriciclo elétrico com velocidade limitada a 45 km/h, havendo ainda a possibilidade de adquirir o veículo ou alugá-lo por via do carsharing gerido pela Free2Move, braço de serviços de mobilidade do Grupo PSA. Em França, o custo por minuto é de 0,26€ por minuto no serviço de partilha.

citroen ami

Sendo bastante compacto – mede 2,41 m de comprimento –, este modelo permite facilidade de estacionamento, com uma autonomia de 70 quilómetros, a partir de uma bateria de 5.5 kWh. O carregamento faz-se em tomadas domésticas, levando três horas a carregar a 220 V, mas poderá também ser carregado noutros pontos, menos nos rápidos.

Atendendo ao novo mundo da conectividade, o Ami oferece uma nova experiência de compra totalmente online, incluindo a configuração e a entrega. Essa pode também ser feita ao domicílio, com um especialista enviado pela marca a explicar o funcionamento do veículo ao comprador. Além da versão base, a marca irá oferecer ainda diversos elementos de personalização para que cada Ami seja único.

Por outro lado, o modelo de distribuição poderá beneficiar de acordos com outras companhias, sendo em França potenciado pela cadeia FNAC e em Espanha pela rede El Corte Ingles, em moldes ainda a delinear.

A sua chegada a Portugal está prevista para o mês de novembro, não havendo ainda definições muito concretas para o mercado luso. O modelo poderá estar nalguns concessionários em que faça sentido pelas características de mobilidade locais.

Ler mais em www.motor24.pt

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, e Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.  MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salários, crédito, moratórias e rendas. O que vai ajudar famílias e empresas

EPA/Enric Fontcuberta

Mais de 100 mil recibos verdes candidataram-se ao apoio à redução da atividade

A ministra da Saúde, Marta Temido.. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

295 mortos e 11 278 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Citroën lança veículo elétrico sem carta por menos de 7 mil euros