Mais Opinião

Ana Rita Guerra
Ana Rita Guerra

Há cada vez mais fraude no LinkedIn

Antes de se aproximar de uma rede social com emojis e estados de alma, o LinkedIn conquistou o nosso respeito como uma ferramenta de networking verdadeiramente útil. O visual polido e funcionalidades profissionais permitiram-lhe ocupar um espaço merecedor no topo das redes essenciais para promover e avançar a carreira. Nenhuma rival conseguiu sequer chegar perto deste estatuto; perdi a conta às redes profissionais que vi surgir e desaparecer ao longo dos anos, relegadas a nichos insustentáveis.

Alfonso Ramirez
Alfonso Ramirez

Como prosperar na era pós covid-19

À medida que a pandemia continua a ocupar as principais manchetes, os líderes empresariais procuram bases estáveis e pontos de equilíbrio para lidar com a incerteza. Alguns focam-se nas previsões sobre a forma da curva de recuperação económica, uma vez terminada a pandemia. No entanto, as discussões em torno dessas previsões falham num ponto essencial: independentemente da forma da curva de recuperação, a realidade empresarial pós-pandémica será muito diferente de tudo o que já vimos antes.

Marco Costa
Marco Costa

Como pode a tecnologia ajudar a vencer a covid-19?

O problema mundial que constitui a pandemia da COVID-19 complexifica-se indeterminadamente, como uma equação com demasiadas variáveis. A procura por um equilíbrio entre saúde e economia desafia a balança do espectro político, o que se reflete em resultados distintos na preparação e capacidade de resposta, de país para país. Um ano após tudo começar - com a vacinação em massa a ganhar protagonismo e a OMS a anunciar a entrega de 237 milhões de doses em 142 países, até final de maio de 2021 -, torna-se cada vez mais evidente a existência de um denominador comum nas organização e eficácia requeridas por tais processos: o recurso a tecnologia especializada para a definição e a execução das políticas dos vários países, podendo, aliás, ser esse mesmo um dos principais fatores diferenciadores entre o maior ou menor sucesso dos países nesta exigente batalha.

Jaime Quesado
Jaime Quesado

Portugal 2030 – Uma oportunidade a não perder

Com esta pandemia a pertinência estratégica dos fundos comunitários ganhou particular importância no quadro das principais opções para o futuro da nossa economia e sociedade. O novo pacote de fundos comunitários vai ter um papel central na modernização da nossa economia e na mobilização da sociedade para novos patamares estratégicos de excelência nas diferentes áreas de actuação. Com o novo Portugal 2030 o nosso país terá que dar o salto para a fronteira da competitividade global e para tal, entre muitos outros, serão decisivos alguns desafios estratégicos que deverão saber mobilizar as nossas competências e capacidade de saber fazer melhor, com mais inovação e valor.

Nuno Pereira da Cruz
Nuno Pereira da Cruz

Sem celeridade não há justiça justa

Se uma pessoa for inocente é inadmissível que sejam necessários longos anos para que veja as suspeitas sobre si serem afastadas ou ver a sua inocência decretada pelo tribunal. Bem como, se for culpado, é intolerável que as vítimas do seu crime tenham de esperar vários anos para o ver condenado.
Um julgamento célere é, portanto, um direito. Mas é também um sinal da eficácia do setor, do desenvolvimento de um país e do conceito de justiça numa sociedade. Quando a justiça é lenta é depois inevitavelmente julgada, descredibilizada e substituída pela justiça da praça pública.

Rosália Amorim
Rosália Amorim

A Operação Marquês e os investidores estrangeiros

Como será que os investidores estrangeiros olham para a justiça portuguesa quando constatam que são precisos sete anos para que um juiz se pronuncie sobre uma acusação a um antigo primeiro-ministro? Ou quando sabem que de um processo em que está em causa um total de 188 crimes, afinal só 17 seguem para julgamento? E como será que analisam o facto de apenas cinco dos 28 arguidos irem a tribunal? Estes são alguns números que resultam da Operação Marquês e das mais de três horas de declarações públicas e em direto, ontem, do juiz Ivo Rosa.

Alberto Castro
Alberto Castro

Nem um pio!

Já ouviu falar da "Europa Startup Aliança das Nações"? Não é engano, a designação é mesmo essa! Presumo que terá sido traduzido para "português" por algum adepto ferrenho da novilíngua promovida pelos burocratas em Bruxelas. Esqueça a designação. Sabe do que se trata? É natural que não. A sua criação foi anunciada, como se da coisa mais natural deste mundo se tratasse, por António Costa, numa daquelas inúmeras conferências de imprensa a que a presidência do Conselho da União Europeia obriga. Trata-se de uma estrutura europeia, mais uma, para promover o empreendedorismo, mais uma vez!

Manuel Falcão
Manuel Falcão

Audiovisual: o exemplo espanhol

Os últimos anos, a forma de ver televisão evoluiu e hoje em dia apenas cerca de metade dos espectadores vê preferencialmente canais generalistas - no caso português, RTP1 e 2, SIC e TVI. A outra metade vê maioritariamente os canais de cabo e streaming - Netflix, Disney+ e HBO são os que têm maior penetração no nosso mercado. No ano passado, a SIC lançou-se também no streaming com a plataforma Opto, que tem igualmente conteúdos de produção própria.