Opinião

2019: o ano da afirmação do ecossistema empreendedor

(DR)
(DR)

O investimento, o nosso “calcanhar de Aquiles”, foi seguramente a área que ganhou mais força.

Se tivesse de classificar a evolução deste ano, diria que ele foi marcado pela afirmação do ecossistema empreendedor como um ecossistema vibrante e cada vez mais robusto.

O investimento, o nosso “calcanhar de Aquiles”, foi seguramente a área que ganhou mais força. Foi um ano marcado pelo reforço de investimento em diversas startups portuguesas e em diferentes estágios de maturidade: desde pre-seed e seed, como foram os casos da Barkyn, da Sound particles, da LUGGit, da Classihy, da Doppio, da Drivit, da Homeit, da EatTasty ou da StudentFinance, até rondas de série A, B e C como foram os casos da HypeLabs, da Infraspeak, da Didimo, da 360imprimir ou da Unbabel.
Foi o ano que marcou, em definitivo, o arranque, tão aguardado, de operações do fundo de co-investimento 200M e em que a Portugal Ventures bateu recordes no montante e número de empresas investidas.

Foi o ano em que vimos um programa internacional de aceleração com a importância do Techstars a operar pela primeira vez em Portugal e para o qual foi selecionada, de entre centenas de candidaturas, a nossa incubada 20tree.ai. E, no final, o programa trouxe mais duas startups à Startup Lisboa: a Viciniti e a Verbz.

Foi o ano em que várias startups se evidenciaram. Permitam-me destacar a nossa alumni IndieCampers, que, a par de um desempenho absolutamente notável em 2019, anunciou já a expansão para mais 15 cidades na Europa, o lançamento de novos produtos e a contratação de 200 pessoas em 2020.

Foi este o ano que viu diversas empresas internacionais, entre startups e grandes empresas, a tomarem a decisão de integrar o nosso ecossistema, como são o caso da Cloudflare, Huawei ou da Revolut, gerando emprego, atraindo talento e trazendo grandes vantagens de proximidade a players globais ao nosso ecossistema.

Foi também o primeiro dos próximos 10 anos em que a Web Summit se realizará em Portugal.
Por último, não posso deixar de referir com tristeza que este foi também o ano marcado pelo desaparecimento do João Vasconcelos, uma das pessoas que mais contribuiu para o desenvolvimento deste ecossistema. E porque não poderíamos deixar de o homenagear, criámos o prémio Empreendedor do Ano – João Vasconcelos, que foi entregue à Daniela Braga, fundadora da DefinedCrowd, que se prepara para ser o próximo unicórnio Português.

Se 2019 foi tudo isto, seguramente que para 2020 só temos motivos para estarmos confiantes e ainda com melhores expectativas.

Diretor Executivo da Startup Lisboa

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Artur Machado/Global Imagens

Excesso de cabrito e leitão não faz baixar o preço na Páscoa

Fernando Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos. TIAGO PETINGA/LUSA

Bancos dizem que condições das linhas de crédito foram definidas pelo Governo

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

2019: o ano da afirmação do ecossistema empreendedor