A "experiência do candidato": atrair os melhores profissionais no mercado

A atual pandemia coloca ao Recrutamento e Seleção (R&S) desafios adicionais a que todos teremos de saber dar a melhor resposta.

A "experiência de candidato" é a expressão usada quando todo o processo de R&S está centrado nos Candidatos e resume a forma como todos os envolvidos avaliam essa experiência:

Para o "escolhido" pode fazer a diferença entre aceitar, ou não, integrar determinada empresa, trabalhar com uma equipa e/ ou trabalhar com a sua chefia direta. Mais de 70% dos candidatos (que estão a trabalhar) referem que a gestão do processo de recrutamento influencia, decisivamente, a sua escolha na mudança de empresa.

Para os "não escolhidos" fica sempre uma boa experiência do processo, que irá "contagiar" a imagem e o conhecimento com que ficam da empresa, podendo esta ser transmitida a outras pessoas.

Para as pessoas das áreas de Recursos Humanos (RH), e das que estão a contratar, fica a sensação de que a escolha foi bem feita (comparar, escolher e contratar o melhor) e o processo bem conduzido.

É tratar os Candidatos como Clientes! Assertivamente e com muito respeito, com o cuidado em cada detalhe que dá a imagem da empresa e do seu negócio e com atenção a cada pessoa durante o processo, que tem de ser bem preparado a cada etapa. Na prática, considerar:

1. COMUNICAÇÃO: a forma como o recrutamento é comunicado faz com que os Candidatos se sintam mais "atraídos" pela oportunidade. Da linguagem à Imagem da Empresa, tudo tem de estar em sintonia.

2. ALINHAMENTO: a mensagem dos intervenientes deve ser complementar e coerente. As pessoas de RH vão avaliar o perfil e a experiência dos Candidatos, a chefia direta conhecimentos mais técnicos. Mas todos devem estar em sintonia nas mensagens sobre Organização e desafio.

3. CONHECIMENTO: Conhecer cada Candidato é determinante. As entrevistas por via de plataformas digitais levantam mais desafios neste ponto. Ainda assim, tratar os Candidatos com um interesse genuíno "resolve" parte deste tema. Mesmo que aquela pessoa não seja a escolhida para aquela função poderá ser, no futuro, para outra.

4. CLAREZA: No início do processo deve ser explicado aos participantes as diversas fases, o que avaliam, assim como a expectativa temporal e de resultados de cada uma delas.

5. PREPARAÇÃO: Dar aos candidatos informação sobre a Empresa (Cultura, Valores, Negócio, desafios), na qual consta ainda o que há a destacar para se ser "o escolhido". Assim, aqueles podem preparar-se para a(s) entrevistas e estarão mais confortáveis em todo o processo.

6. QUALIDADE: A qualidade da entrevista (quer das perguntas quer do ambiente criado entre entrevistado e entrevistador) é fundamental para dar ao Candidato a oportunidade de ele se "revelar" por via das suas experiências anteriores.

7. INFORMACÃO: Depois da escolha é muito importante informar todos os participantes que o processo está terminado, agradecendo, uma vez mais o interesse e o envolvimento.

8. CONTRATAÇÃO: Para o "escolhido" a "Experiência de Candidato" não termina aqui. Continua durante todo o processo mais administrativo que decorre até ao primeiro dia de trabalho, quando começa outra etapa importante: o "Onboarding"!

Ana Sofia Portela, partner Neves de Almeida HR Consulting

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de