Opinião

A identidade das empresas como fator para o sucesso

Miguel Garcia, Xing

No mercado de trabalho, construir e manter uma coerente e diferenciadora cultura empresarial tornou-se num dos principais desafios para as organizações.

A par da estratégia e do modelo operacional – ou estando, até, acima dessas questões – esta tornou-se fator primordial, com os responsáveis a dedicar-lhe uma atenção sem precedentes, e os trabalhadores a colocarem-na no “top” de pontos valorizados.

Sendo a cultura empresarial um conjunto de normas e valores – que contemplam o estilo de chefia, a relação com as pessoas na organização, entre outros -, é fundamental que esta seja identificada e promovida desde a sua génese, para servir como influência para o caminho que a empresa percorrerá.

Uma das formas de estabelecer uma cultura saudável numa empresa é a existência de transparência salarial. Ser claro, tanto para o “chefe” como para o trabalhador, quais os intervalos de salário praticados pela empresa, permite uma negociação muito mais justa e aberta sobre desempenho e progressão de carreira. Na XING, todos os anos recolhemos dados salariais de benchmarking externo relativos aos mercados onde as nossas equipas trabalham e, com base nestes, definimos intervalos salariais por cargo e nível de senioridade. Estes dados são publicados e podem ser acedidos por todos os trabalhadores e responsáveis da empresa.

Outra forma, não menos relevante, passa pela equidade entre homens e mulheres, nomeadamente em cargos de liderança. As mulheres representam grande parte do mercado de trabalho, mas chegar a cargos de gestão é uma grande dificuldade sentida por estas. De facto, um estudo divulgado recentemente pela consultora Polar Insight sobre flexibilidade do mercado laboral português mostra que as mulheres no nosso país têm, no geral, qualificações mais elevadas que os homens, mas menores responsabilidades organizacionais e salários mais baixos. Esta é uma questão que levamos muito a sério e, nesse sentido, desenvolvemos uma iniciativa, a “Jornada de Liderança Executiva Feminina”, em que os talentos femininos da organização são convidados a explorar temas executivos e estratégicos em conjunto com os seus chefes diretos, para que as capacidades de liderança saiam destacadas e se prepare o caminho para acesso a altos cargos.

Há muitas outras vertentes que constituem e transparecem a cultura de uma empresa, desde a permissão da presença de animais de estimação até ao design e conforto dos escritórios. O facto é que a cultura empresarial só tem efeitos se for promovida desde cima e partilhada por todos. Com o correto posicionamento, podemos conseguir equipas motivadas e um aumento do envolvimento, havendo estímulo da criatividade, fortalecimento da identidade, sentido de pertença e de compromisso. E isso reflete-se nos resultados e pode mesmo ser fator-chave para o sucesso.

Miguel Garcia é general manager da XING Portugal

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Termina greve dos motoristas

Francisco São Bento, presidente do SNMMP. Foto: Sara Matos/Global Imagens

Cinco momentos chave numa greve de sete dias

Outros conteúdos GMG
A identidade das empresas como fator para o sucesso