A importância da privacidade de dados

A privacidade de dados pessoais é, atualmente, uma das principais preocupações relativamente à nossa pegada digital, que, de certa forma, não é mais do que uma preocupação com um histórico da nossa passagem pelo mundo digital, revelando uma multiplicidade de dados.

É importante termos consciência sobre o que revelam de nós, quem se importa por esses dados, em que medida nos expõem, que riscos estão inerentes à divulgação dos mesmos. Assim, uma cultura de privacidade de dados no seio das organizações é fundamental para reduzir os riscos inerentes ao uso das ferramentas digitais e a guarda de toda a informação tanto nos nossos PC e servidores, como nos mais diversos modelos cloud.

É hoje normal sermos abordados na internet por um crescente número de anúncios e emails, que vão desde a venda de produtos e serviços aos pedidos de inquérito, bem como ouvirmos falar de fraude bancária nas contas de alguém conhecido. Deste modo, mitigar estes riscos é fundamental, tanto do ponto de vista pessoal como organizacional.

Existe um conjunto de medidas que podemos adotar que minimizam o risco dos nossos dados serem revelados sem consentimento. É importante termos consciência acerca do tipo de consentimento de utilização que permitimos e, se de facto o permitimos para sempre, assim como tomar as devidas precauções para retirar esse consentimento, possibilidade que o RGPD veio contemplar no que diz respeito aos dados pessoais. Ainda assim, devemos adotar práticas seguras, quer na gestão de dispositivos de armazenamento e comunicação, quer na utilização de equipamentos ligados à internet, tais como:

• Evitar abrir emails de origem/remetente desconhecidos, redigidos noutros idiomas, com erros de digitação e garantir que existe um antivírus atualizado;
• Encriptar informação confidencial;
• Utilizar passwords robustas, mantê-las reservadas e alterá-las periodicamente;
• Reduzir ou não disponibilizar informações nas redes sociais;
• Evitar aceder através de links a sites que requerem dados sensíveis;
• Aceder à Web em modo anónimo;

As medidas tecnológicas que visam garantir a segurança cibernética nas organizações tem vindo a aumentar nos anos mais recentes, tornando-se mais crítica a partir do momento em que ocorre um ataque informático. Cada vez mais estes incidentes digitais estão associados a más políticas de privacidade de dados, sendo evidente que organizações com uma forte cultura de proteção e privacidade de dados estão menos expostas a este tipo de incidências.

É fácil de constatar que a utilização de meios informáticos em trabalho remoto, contribui para o aumento do risco de ataques cibernéticos, sendo fundamental a sensibilização de todos os colaboradores para estas questões, assim como uma maior preocupação das organizações com a proteção de sistemas, redes e dispositivos.
Numa era em que todos nós, quase sem exceção, deixamos uma pegada digital, as organizações com uma forte cultura de proteção e privacidade de dados estarão mais preparadas para enfrentar este tipo de riscos.

CEO da Papiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de