Achatar a curva da poluição através dos caminhos-de-ferro

Um ser vivo invisível e maligno atravessou continentes e, num abrir e fechar de olhos, obrigou-nos a alterar drasticamente o modo como vivemos, como nunca o pensámos fazer. Forçou-nos a ficar em casa, a evitar beijos e abraços e a servirmo-nos cada vez mais das tecnologias para comunicar com os outros. Tudo para achatar a curva de contágio e impedir a propagação desse ser viral.

Enquanto nos recolhemos nos nossos lares, demos conta de várias notícias a relatar a diminuição da poluição perante o decréscimo das actividades económicas e fomos confrontados com imagens reais de águas límpidas, dos animais regressados ao seu habitat natural e com fotografias tiradas do espaço a mostrar-nos como tinham baixado as emissões de gases poluentes. Sabemos, porém, que é algo temporário e que o regresso à “nova normalidade” tem de ser acompanhado por comportamentos mais responsáveis.

A ferrovia é, comprovadamente, o meio de transporte mais amigo do planeta. A sustentabilidade faz parte do ADN da MEDWAY e é sabido o nosso compromisso para com o meio ambiente, recentemente comprovado ao termos garantido a manutenção da certificação do nosso Sistema de Gestão Integrado da Qualidade e do Ambiente pela APCER. E embora a maioria das empresas esteja cada vez mais consciente do seu dever de reduzir a pegada ambiental, queremos assumir um papel mais relevante e ajudá-las a atingir as suas metas ambientais.

Foi nesse sentido que lançámos recentemente o Certificado de Transporte Sustentável, um selo a que as empresas que optam pelo comboio para transportar as suas mercadorias podem ter acesso. Para além deste Certificado, as empresas poderão ainda receber a informação relevante para ajudar no cumprimento das suas metas ambientais, nomeadamente, na redução das emissões de CO2 ao longo do ano com a utilização do transporte ferroviário em detrimento do transporte rodoviário.

Para se ter uma ideia, actualmente, um comboio da MEDWAY emite em média cerca de 6.0 Kg CO2 eq/Km, enquanto o transporte da mesma quantidade de mercadorias por camião representa uma emissão de cerca de 20.4 Kg CO2 eq/Km, o que corresponde a uma redução de 71% das emissões de CO2 eq/Km do comboio quando comparado ao camião. Essa redução chega aos 74%, se o transporte for efectuado com recurso exclusivo a locomotivas eléctricas.

Tendo estes números em consideração, foi com pesar e preocupação que li os resultados do recente estudo da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, que concluiu que Portugal, a par com França, foi o país europeu que mais rede ferroviária perdeu entre 1990 e 2017, num total de 17% de decréscimo. Não sendo uma surpresa, não deixa de ser uma desagradável notícia, sobretudo num contexto em que pessoas e empresas estão cada vez mais conscientes do impacto que produzimos no planeta. Por isso, consideramos ser urgente reverter esta situação e reinvestir nos caminhos-de-ferro do nosso país.

Depois de todos os esforços que fizemos para achatar a curva de contágio, mudando de forma abrupta o nosso modo de vida e de trabalho, chegou a altura de voltarmos a focar-nos na urgência de salvar o planeta e mudarmos os nossos hábitos enquanto pessoas e enquanto empresas para achatar a curva da poluição.

Carlos Vasconcelos é administrador da MEDWAY

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de