Opinião: Rosália Amorim

Brexit. Sim, devemos estar preocupados

REUTERS/Toby Melville
REUTERS/Toby Melville

Um não acordo entre a União Europeia e o Reino Unido, no âmbito do doloroso brexit, seria o pior que poderia acontecer à economia portuguesa.

Sobretudo nos setores do turismo, em que não podemos esquecer os aeroportos, na construção e imobiliário e no setor do vinho do Porto, o embate será gigante se não se chegar a um entendimento.

A tudo isto junta-se a desvalorização da libra face ao euro, consequência do brexit, que tem levado à queda do turismo britânico, que é o maior emissor de turistas para Portugal.

Perante este desfecho, ficam em causa os acordos de livre circulação entre o Reino Unido e a União Europeia, o que poderá implicar alterações na regulação, nos custos e nas dificuldades para as empresas portuguesas. Para os cidadãos lusitanos que vivem naquele território a situação também não é simples, pois passando a ser um país terceiro vai ser necessário tratar de vistos de residência.

O hard brexit ainda não revelou qualquer virtude, pelo menos visto do prisma nacional. Ainda assim, o presidente da AICEP está otimista e diz, em entrevista ao Dinheiro Vivo, acreditar que as empresas portuguesas vão conseguir adaptar-se à nova realidade pós-brexit, mesmo sem acordo. Até podem fazê-lo, porque os portugueses já são doutorados em desenrascanço e em dar a volta perante situações económicas difíceis, mas o preço a pagar por isso pode ser muito alto.

Poucos eram os que acreditavam ser possível chegar ao ponto a que se chegou, assistindo em direto pelas televisões ao chumbo do acordo no Parlamento britânico. Talvez por isso o governo português tenha acordado um pouco tarde para o tema e a comissão de acompanhamento do brexit fosse lenta na atuação. Só mesmo na véspera e no dia em que o acordo não passou é que se anunciaram algumas medidas, quando, na minha opinião, preventivamente poderiam ter sido anunciadas antes, por forma a minorar futuras curvas descendentes na relação económica da mais velha aliança do mundo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), e o primeiro-ministro, António Costa (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Presidente já tem nomes dos novos ministros

Agricultura

Salários agrícolas disparam no Algarve e Lisboa

twitter-mobile-app-ss-1920-960x540_c

Twitter pia mais fino, milhões de utilizadores voaram

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Brexit. Sim, devemos estar preocupados